Blog Criação de Personas: guia simples para iniciantes

Criação de Personas: guia simples para iniciantes

Criação de Personas: guia simples para iniciantes

A palavra persona vem do latim. Em sua origem, era o nome das máscaras utilizadas no teatro e nas tragédias gregas, no entanto Carl Jung define o conceito como uma espécie de máscara que as pessoas utilizam para se apresentar na sociedade.

Esse conceito envolve inúmeras discussões filosóficas, mas sem dúvida, o marketing aprendeu a utilizá-lo como ninguém, seja para desenvolver produtos ou criar estratégias de comunicação mais assertivas e acertadas.

Pensar no seu público-alvo com o máximo de detalhes é fundamental para direcionar melhor os recursos e atendê-lo de maneira profissional, solucionando seus problemas e demandas ou ajudando o indivíduo a identificá-los.

Com isso, criamos um guia simples de Criação de Personas para quem está iniciando no marketing digital e busca criar estratégias campeãs e de alta conversão. Confira!

O que é uma Persona?

É preciso conhecer a origem do termo persona, justamente pela complexidade do seu significado, e que torna o conceito ainda mais compreensível pelos profissionais de marketing.

Quando falamos em público-alvo, nos referimos a amostras estatísticas da população com base em determinados critérios. Por exemplo, todas as características dos brasileiros, ou dos paulistas, ou dos cariocas.

São informações como sexo, faixa etária, renda mensal, dentre outros dados que nos ajudam a ter uma noção de como são as pessoas dentro de uma área de atendimento.

Já o conceito de persona diz respeito a como cada um dos seus clientes quer ser visto pela sociedade. Ou seja, a sua marca, ao falar com a persona, é muito assertiva, afinal, está conversando justamente com a imagem que o cliente deseja passar, mesmo que na vida real ele não seja exatamente assim.

Pode parecer ilógico, mas pense no seguinte: É mais fácil ser sustentável ou parecer sustentável?

Se esse é um valor que o seu cliente ideal preza, então a sua marca precisa ser, uma vez que o cliente comprará dela para parecer.

Qual é a diferença entre público-alvo e persona?

O público-alvo é uma amostra estatística, enquanto a persona, a priori, é um personagem que a sua empresa imagina ser o cliente ideal, o qual será a base para todas as estratégias de comunicação e criação de produtos.

Vale lembrar que nem sempre a persona é o seu cliente ideal. O cliente ideal é quando a persona está dentro do público-alvo e de fato reflete o seu principal público consumidor.

Vamos a um exemplo para a diferença entre os dois conceitos se tornar mais clara:

  • Público-alvo: Mulheres de 20 a 30 anos, sem filhos, que moram em São Paulo e tem uma renda média de R$ 4 mil mensais. Buscam viajar no próximo ano.
  • Persona: Ana tem 25 anos, deseja ter filhos apenas daqui a 10 anos, mora em Pinheiros e trabalha como chef de cozinha no bairro. Adora viajar e quer ir para o exterior conhecer mais sobre a cozinha asiática.

Crie as suas personas

Isso mesmo. Costumamos falar no singular, mas o fato é que todo negócio atende mais do que um único tipo de pessoa.

No entanto, é preciso tomar cuidado para não exagerar e sair com diversos perfis diferentes que, no máximo, irão confundir a sua equipe de marketing e vendas.

O primeiro passo para criar uma persona do modo correto, é justamente começar com o seu público-alvo. De nada adianta criar um personagem que não conversa com essa amostra demográfica.

Afinal, se fizer isso, estará projetando o que seria o ideal, e não a realidade como ela é.

Comece pelas redes sociais

No início realmente é muito difícil e vago criar uma persona que efetivamente gera resultados para o seu negócio.

É natural que todo empreendedor acredite que pessoas como ele próprio serão os seus melhores clientes. Portanto, é fundamental estar de olho nos dados, e as redes sociais são fantásticas para isso.

Se você possui uma conta que possui alguma movimentação relevante, analise os dados estatísticos de quem está interagindo com o seu conteúdo.

É claro que nem todas essas pessoas são ou serão seus clientes, porém, você reduz significativamente o espaço amostral.

Além disso, busque as cinco pessoas que são as maiores fãs da sua marca e investigue esses perfis. O que comem? Qual é o ritmo de postagem? Quais são os materiais com os que mais interagem?

Todas essas informações são valiosas.

Converse com os clientes reais

Outro ponto importante é compreender que a sua persona deve ser um cliente de fato. Dessa forma, converse com aqueles que já fecharam negócios com a sua empresa, e de preferência, com os mais fidelizados.

Não tenha medo de perguntar, principalmente se você entrega algo de valor de maneira gratuita em troca dessas informações, como um cupom de desconto ou algum cashback.

Os principais pontos que precisam ser analisados e compreendidos são:

  • Informações demográficas;
  • Trajetória acadêmica;
  • Histórico profissional;
  • Vida financeira;
  • Vida pessoal (hobbies e hábitos);
  • Como ela se relaciona com as marcas.

Não podemos definir um conjunto de perguntas justamente pelo fato de que cada empresa deve compreender as suas próprias necessidades e objetivos para descobrir aquilo que realmente importa no seu caso.

Evite a obesidade cerebral

O conceito de obesidade cerebral diz respeito a pessoas extremamente cultas e eruditas, mas que não conseguem colocar todo o conhecimento em ação.

Elas estão presas no mundo das ideias.

O mesmo pode acontecer quando uma empresa coleta dados em excesso.

É evidente que quanto mais informações, mais acertadas tendem a ser as decisões estratégicas. No entanto, em excesso, podem gerar uma confusão.

Por isso, analise apenas as informações que realmente podem ajudá-lo a agregar mais valor ao seu cliente.

Se a sua equipe tem a capacidade e as ferramentas adequadas para trabalhar com big data, ótimo. Caso contrário, os resultados tendem a ser ainda mais positivos caso as suas perguntas não passem de 5 ou 10.

Coloque a sua persona para trabalhar

O maior inimigo do empreendedorismo é a vergonha do que os outros vão pensar. Uma persona pode ser o seu escudo contra essa crença.

Essa personagem é uma das primeiras que deve ser consultada antes de publicar um conteúdo ou lançar um novo produto. Sempre pense:

A minha persona acha que isso faz sentido?

Se sim, siga em frente. Caso contrário, analise a situação sob outro ângulo.

Para o marketing de conteúdo, a persona acompanha do começo ao fim. Ela define os tópicos a serem abordados, assim como a linguagem que deve ser utilizada.

Afinal, para que um conteúdo tenha valor de fato, é preciso de um leitor que esteja buscando por ele.

Aqui na RedaWeb nós utilizamos esse conceito para gerar materiais de alto impacto para nossos clientes.

Acesse a nossa página para conferir os planos exclusivos para atender a sua persona como ela merece!

Artigos relacionados.

Ver mais artigos
dicas-para-identificar-a-melhor-plataforma-para-e-commerce design-thinking-entenda-como-funciona dicas-incriveis-para-o-planejamento-de-gastos-no-marketing
Whatsapp
Ligue grátis 0800 750 5564
Ligue grátis 0800 750 5564