A atuação do profissional de SEO: saiba as principais questões envolvidas

Uma das carreiras em maior ascensão atualmente é a do profissional de marketing. Com espaço para trabalho em agências, empresas e como freelancer, a área tem uma grande abrangência de especialidades que vão expandindo ainda mais as novidades do mercado. Uma das mais requisitadas é a do analista de SEO, responsável por otimizar as páginas de um site ou blog, para que ganhem destaque em mecanismos de busca, especialmente o Google. 

O Google é o site mais visitado do mundo e serve como ponte entre o usuário e a página que deseja pesquisar. Sua importância é tamanha, que estar entre as primeiras posições de uma pesquisa é fundamental para aumentar os números de leads e conversões. A busca é gratuita, assim como o trabalho de um analista de SEO, que utiliza técnicas para obter os melhores resultados. 


A atuação ampla do analista de SEO 

Alcançar as primeiras posições de um site de busca como o Google é uma das principais ambições de um analista de SEO e isso faz parte das principais estratégias do marketing digital. Não é para menos: estar nas primeiras posições do Google é sinônimo de mais visitas, vendas e faturamento para a empresa. 

Criado em 1998 por Larry Page e Sergey Brinn como um simples buscador, hoje a plataforma é o site mais visitado do mundo. Os números surpreendem já que são 100 bilhões de pesquisas feitas mensalmente e mais de 2 trilhões por ano. São 60 trilhões de endereços da internet, catalogados no Google e mais de 20 bilhões são banidos diariamente durante atualização da base de dados. 

O Google utiliza 100 petabytes de volume de dados nos seus servidores e seriam precisos 4 mil anos de gravações de qualidade de DVD, sobre esses dados armazenados. Cada informação viaja em média 2.400 km entre a informação requisitada e o usuário, além disso o site tem 146 idiomas cadastrados e tradução para 72. 

Como ficar de fora de um site tão importante desses? E como se destacar diante de tamanha grandiosidade? O marketing digital tem como resposta a Search Engine Optimization (SEO), um conjunto de técnicas e estratégias para potencializar o posicionamento de uma página, site ou blog. Seu trabalho é focado em resultados orgânicos, feitos de forma espontânea pelo resultado das pesquisas. 

A conquista da tão sonhada primeira página por parte das empresas é uma reação à forma como os usuários agem no site de busca. Ao pesquisar por uma palavra-chave, o usuário clica nos endereços que estão no topo, no máximo até dez resultados, e raramente vai para outra página além da primeira. Também foi avaliada a forma média como o usuário lê as opções, que é de cima para baixo, da esquerda para direita, o que causou uma mudança no posicionamento anterior dos anúncios pagos do Google, que eram localizados na direita da página e perdiam força na visualização imediata.

A empresa Advanced Web Ranking realizou uma pesquisa, que identificou que o primeiro lugar orgânico do Google recebe 34% dos cliques contra 19% do segundo lugar. Mais uma prova estatística com números significativos da importância de estar bem posicionado e de colocar a marca à frente de seus concorrentes. O mesmo ocorre com anúncios criados pelo Google Adwords, cujos primeiros lugares sempre apresentam uma resposta melhor do que os posteriores. 

O Google oferece uma ferramenta chamada Google Search Console, que apresenta a posição da página a partir da busca de suas palavras-chave. Ele apresenta estatísticas muito úteis para o trabalho do analista SEO, que incluem os termos que mais acionaram o site e servem como parâmetro para as alterações nas estratégias. 

Desse modo, SEO não é mais uma técnica para aquisição de tráfego, mas envolve toda a complexidade do marketing digital. Afinal, todos os seus processos influenciam no posicionamento do ranking da Google. A otimização se baseia em manter os termos técnicos, que façam a conexão entre a marca e o público-alvo, para que gerem conversões. 

Para entender melhor o funcionamento dos espaços no site de busca, a world wide web (www, ou apenas web) é um conjunto de sites interconectados e só aumenta em quantidade diariamente. Não há um padrão temático sobre esses sites que abordam os mais variados temas e assuntos que acabam concorrendo entre si. E essa concorrência deseja se destacar entre os demais, tanto quanto o seu site. 

O Google recebe todo esse conglomerado de sites da web e utiliza algoritmos para selecionar os sites com melhor qualidade para se destacarem nas pesquisas. Os critérios técnicos são definidos pelos robôs automatizados, que incluem a qualidade do conteúdo publicado, a quantidade de visualizações, a qualidade técnica dos links, entre outros. Em seguida, esses robôs classificam a página de acordo com os algoritmos identificados, segmentando-a em temas e termos para se encaixar na base das pesquisas.

Há ferramentas utilizadas pelo Google que ajudam nessa classificação, como o PageRank, que identifica os links externos e classifica a página por meio de uma pontuação que vai de 0 a 100. O algoritmo trustrank se baseia na confiança que a página apresenta e na sua autoridade, que também atua no ranqueamento. Já o browserank avalia o comportamento do usuário que chegou até a página, observando ainda o tempo que ficou nela. 

Em uma avaliação básica sobre o que mais proporciona retorno a um site, a técnica de SEO desponta com o aumento de tráfego orgânico, mais do que os links patrocinados e a participação ativa em redes sociais. Saber lidar com detalhes como as ferramentas apresentadas pelo Google e organizar pequenos erros comuns em outras etapas do marketing digital, permite criar uma confiança à técnica de SEO e a torna fundamental para qualquer estratégia.


O que faz uma analista de SEO

O analista de SEO é uma peça-chave no marketing digital e cabe a ele utilizar o conjunto de técnicas e ferramentas disponíveis, orquestrando o restante das outras especializações. É importante entender que seu processo não tem um retorno imediato e tende a trazer resultados em médio ou longo prazo. 

Cabe ao analista de SEO as seguintes funções:

  • on page: analisar o código interno de um site, assim como HTML, urls, sua navegação e usabilidade, para que o site seja entendido pelos motores de busca. 
  • off page: identificar sites com temas próximos e compatíveis, que possam indicar a página como sua publicação de qualidade.
  • conteúdos: em geral, não é o analista de SEO o responsável pela criação de conteúdos, mas sim por direcionar a forma como eles devem ser publicados a fim de receber a interação do leitor, inclusive instruindo sobre palavras-chave. 
  • treinar: o analista de SEO pode orientar e treinar os outros especialistas sobre a importância de utilizar técnicas de SEO em todas as suas ações.

Como cada especialidade do marketing digital, o analista de SEO deve ter um perfil próprio, com qualidades importantes para a realização de um bom trabalho e ser analítico, atento aos detalhes; ter formação em programação e marketing, ter inglês fluente e estar bastante conectado às novidades tecnológicas. 

Dos conhecimentos técnicos, os mais importantes são: conhecer os mecanismos técnicos de busca, os códigos HTML, XML, palavras-chave, redes sociais, estratégias de posicionamento e ferramentas para mensuração.

O profissional de SEO atua com técnicas e ferramentas para provocar um melhor posicionamento orgânico da página ou site, agindo também como mentor de outras especialidades do marketing digital. A técnica de SEO é uma das mais importantes ações macros, com resultados de médio e longo prazo capazes de levar a marca a uma audiência e reputação desejadas. Acesse o site da RedaWeb ou ligue para nós no 0800 750 5564 caso queira assinar um plano de produção de conteúdo!