Blog Análise SWOT ou FOFA: o que é e como aplicar no seu negócio

Análise SWOT ou FOFA: o que é e como aplicar no seu negócio

equipe fazendo análise swot

Se você se interessa por marketing e seus vieses, é provável que já tenha ouvido falar em análise SWOT, ou FOFA, como é conhecida em português. Muito útil do ponto de vista estratégico, essa técnica pode fazer uma enorme diferença quando é preciso tomar certas decisões pessoais e empresariais.  


Além disso, você também pode utilizar a SWOT para analisar sua equipe, compreendendo se ela está alinhada com as tendências do mercado e com a rapidez de suas mudanças, agindo de forma rápida e precisa.  


Mas, afinal, como essa ferramenta surgiu? Para que ela serve exatamente? Ela pode fazer a diferença no meu negócio? Como utilizá-la corretamente? Se você possui alguma dessas dúvida sobre o assunto, basta continuar conosco até o final deste artigo. Então, vamos começar!


 

Saiba o que é análise SWOT


Análise SWOT (ou FOFA) é, simplesmente, a abreviação do nome de quatro elementos: “Strengths”, “Weaknesses”, “Opportunities” e “Threats”. Traduzindo para o português, “Forças”, “Fraquezas”, “Oportunidades” e “Ameaças”.  


Seu principal objetivo é auxiliar no planejamento estratégico e na definição do nicho de mercado de organizações de todos os portes. No entanto, vale lembrar que ela também pode ser usada de maneira pessoa, para entender como está a sua imagem frente ao mercado ou a vida. 


No geral, os pontos fracos e fortes analisados tendem a se relacionar com fatores internos, como: 


  • Marcas;
  • Serviços e produtos oferecidos;
  • Preços;
  • Custos e lucros;
  • Pessoas (funcionários) e suas habilidades;
  • Infraestrutura;
  • Desempenho.


Por outro lado, as ameaças e oportunidades devem olhar “para fora” da empresa, visando principalmente: 


  • Mercado, clientes, setores e público;
  • Concorrentes;
  • Tendências;
  • Economia e demais fatores sociais.


Quando conseguimos identificar cada um desses pontos, entendemos que, para que a análise FOFA funcione como o esperado, é preciso que suas forças sejam mais poderosas que as de seus concorrentes, bem como suas fraquezas sejam trabalhadas com maior rapidez. O mesmo vale para os outros dos parâmetros.  


Assim, as oportunidades identificadas devem oferecer à empresa a chance de crescer e se desenvolver, tornando-a mais lucrativa e bem colocada no mercado. Ao mesmo tempo, as ameaças devem ser vistas como cenários em potencial, ajudando a equipe a antecipar problemas e contorná-los.  


Para todos os casos, vale lembrar: os pontos devem ser realistas e não fantasiosos.  


História da análise SWOT 


A ideia mais difundida sobre a criação da análise SWOT é de que a mesma surgiu através de Albert S. Humphrey e dois de seus colegas, na renomada Universidade de Stanford, nos Estados Unidos.  


O ano era 1965 e Albert, enquanto trabalhava em seu projeto de pesquisa, desenvolveu uma ferramenta analítica para avaliar todo e qualquer plano estratégico, descobrindo o motivo que levava planejamentos corporativos a falharem.  


Na época, tal ferramenta foi apelidada de SOFT, onde o “S” representava os pontos satisfatórios atuais, “O” as oportunidades a serem exploradas no futuro, “F” as falhas do presente e “T” as ameaças iminentes.  


Entretanto, não há certezas de que essa seja a real história por trás do surgimento da análise SWOT. Isso porque, não existe qualquer referência acadêmica documentada a respeito. Por outro lado, é possível encontrar indícios de que a ferramenta já era usada no início dos anos 60 na Universidade de Harvard. 


Independentemente de sua origem, no final das contas, a FOFA tornou-se um elemento de extrema importância para organizações do mundo todo, proporcionando um mapeamento único para empresários e equipes de marketing.  


Como fazer a análise SWOT?


De maneira prática, para fazer uma análise SWOT é necessário reunir uma equipe interna, preferencialmente com integrantes da diretoria, marketing e setor financeiro. Então, basta que cada um mencione o que enxerga como pontos fortes e fracos, bem como quais as possíveis ameaças e oportunidades existentes.  


O segundo passo é selecionar os tópicos mais citados e colocá-los em uma matriz ou fazendo uma espécie de lista. Em seguida, foque em: 


  • Ordenar cada tópico, colocando os pontos citados em ordem de prioridade;
  • Discutir com os membros da equipe sobre o que é possível fazer com relação a cada um deles;
  • Documentar tudo o que foi acordado durante a reunião;
  • Criar um planejamento para implementar o plano de negócios desenvolvido.

Elementos que compõe a matriz SWOT


Certo, mas, que tal explorarmos mais a fundo os quatro elementos de uma análise SWOT? Se você gostou da ideia, fique atento ao conteúdo abaixo.  


Pontos fortes


As forças, ou pontos fortes, são os fatores nos quais uma empresa se destaca, ou seja, eles contribuem para o sucesso da organização. Tais fatores podem incluir as capacidades de: 


  • Tornar um processo eficiente;
  • Fidelizar o cliente;
  • Aumentar seus recursos financeiros;
  • Fugir de dívidas (possuir um bom planejamento financeiro);
  • Cuidar de seu capital humano (colaboradores).


Pontos fracos


Já os pontos fracos, são os fatores que impedem uma empresa de cumprir sua missão, impossibilitando a mesma de atingir todo o seu potencial. Tais fraquezas dificultam (e muito) tanto o crescimento quanto o sucesso organizacional. 


Na lista de fraquezas podemos incluir, por exemplo: 


  • Infraestrutura ruim;
  • Gama de produtos e serviços limitada;
  • Decisões tomadas de maneira equivocada e sem planejamento.


Oportunidades


Mais importante do que criar grandes oportunidades é saber identificá-las, definitivamente. Por isso, esse ponto da análise SWOT foca no reconhecimento e compreensão de estratégias que ajudem a empresa a obter vantagens competitivas.  


As oportunidades, aliás, podem surgir de diversos fatores, como do governo, das áreas tecnológicas e até mesmo de seus concorrentes. Por isso, fique sempre de olho! 


Ameaças


As ameaças são, em suma, fatores observados no ambiente externo capazes de comprometerem os lucros e a confiabilidade da empresa. Essas ameaças, aliás, costumam ser incontroláveis, surgindo sem muitos avisos.  


Podemos incluir na lista de ameaças pontos como: 


  • Surgimento de novos concorrentes;
  • Demissões em massa (partindo dos colaboradores);
  • Redução dos lucros da indústria ou setor.

 

Vantagens da análise FOFA


Acredite, a lista de vantagens em utilizar uma análise FOFA no seu negócio é realmente gigantesca. A seguir, separamos as principais delas. Acompanhe: 


A análise FOFA é altamente rentável 


Embora existam softwares pagos no mercado e centenas de especialistas voltados para lhe auxiliar no desenvolvimento de uma análise SWOT, nada disso é necessário caso você não possa investir no momento.  


Para utilizar a ferramenta, basta reservar um tempo extra e focar em seus pontos.  


Ela promove discussões importantes


A análise FOFA ainda promove o que chamamos de colaboração eficaz, algo que é crucial para o alto nível de envolvimento de seus funcionários.  


Nesse caso, como cada colaborador possui um papel fundamental para o sucesso da organização, incluí-los nas discussões sobre os pontos fortes e fracos torna a análise mais detalhada, abrangente e certeira.  


Ela garante uma visão geral da situação da empresa


Quando algo dá errado dentro da organização, nem sempre é fácil identificar de onde o problema surgiu e como está afetando cada setor. Com uma análise FOFA em mãos, por outro lado, é possível localizar as falhas e agir de maneira rápida, evitando problemas maiores.  


Você terá excelentes “insights” 


Chamamos de “insights” a capacidade de compreendermos verdades escondidas nos mais variados tipos de situação. Assim, a análise FOFA pode ser usada com foco em pesquisas de mercado, permitindo que a empresa entenda seus concorrentes e seu cenário atual.  


O resultado? Uma maior capacidade de desenvolver estratégias para estabelecer um posicionamento consistente e muito competitivo.  


 

Para que serve a análise SWOT? 


Como mencionamos anteriormente, uma análise SWOT irá ajudar a sua empresa a se posicionar e a aproveitar as oportunidades do mercado, preparando-a para estabelecer estratégias eficazes.  


Com a FOFA é possível obter uma visão nítida e altamente realista do seu ambiente interno, ajudando-o a identificar diversas maneiras de satisfazer seus clientes, atingir seus objetivos e fortalecer as áreas consideradas mais fracas.  


Além disso, realizar uma análise do ambiente externo pode lhe preparar para diversas oportunidades, como mudanças comerciais e demográficas, por exemplo, além de deixar sua organização mais forte contra as ameaças, que podem envolver a perda de funcionários, de contratos ou os altos e baixos do mercado.  


Com esses pontos em mente (e no papel), você deverá, finalmente, trabalhar com a sua equipe para desenvolver uma resposta adequada e satisfatória, voltada para resolver qualquer desafio a curto, médio e longo prazo.  


A ideia é nunca ser pego desprevenido, certo? 


Saiba quando fazer uma análise SWOT


Você pode optar por desenvolver uma análise SWOT do seu negócio, em geral, por duas razões distintas: 


  • Para definir seus objetivos organizacionais: os objetivos organizacionais incluem a implementação de novas tecnologias, aproveitando oportunidades de negócio, respondendo a tendências recentes do mercado e mantendo-se relevante mesmo na presença de seus concorrentes;
  • Para conseguir um planejamento estratégico eficiente: você também pode fazer uma análise do tipo para obter dados que informem os processos de planejamento estratégico e de tomada de decisões, minimizando os pontos fracos, neutralizando as ameaças e aproveitando ao máximo as oportunidades do mercado.


Como descobrir as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças?


O objetivo de uma análise SWOT é, na maioria das vezes, coletar informações de seus funcionários para maximizar a capacidade da empresa de lidar com as mais diversas situações do mercado.  


Para alcançar tal objetivo, o melhor caminho é levantar certos questionamentos relevantes. Logo, durante uma reunião para descobrir as forças, fraquezas, oportunidades e ameaças da organização, tente reunir as seguintes informações sobre o mercado: 


  • Quem são os seus principais concorrentes?
  • Qual é a sua participação no seu nicho de mercado?
  • Quais são as principais tendências de mercado no seu setor?
  • Como os seus clientes enxergam a sua empresa?
  • O que você pode fazer para se destacar no mercado?


Também é preciso reunir informações pertinentes sobre a empresa em si, como: 


  • Seu desempenho nas vendas e no marketing;
  • Seu desempenho nas finanças e no marketing;
  • A eficiência dos seus sistemas e processos internos;
  • Quem são seus funcionários-chave, quais suas competências e a quem eles respondem;
  • Como é a cultura e a estratégia interna;
  • Qual é a sua missão, visão e os seus valores.


Foco nos pontos fortes!


Com essas informações em mãos, é hora de focar nos pontos fortes. Para isso, faça uma segunda lista. Nela, é preciso conter as vantagens da sua empresa do ponto de vista competitivo, de habilidades e experiências.  


Alguns bons exemplos são: 


  • Uma marca bem-vista e conceituada;
  • Uso de alta tecnologia;
  • Utilização de máquinas e equipamentos modernos;
  • Equipes internas bem treinadas, principalmente com relação às vendas;
  • Baixa rotatividade de colaboradores;
  • Alta experiência em gestão;
  • Alta eficiência operacional;
  • Excelência na retenção de clientes;
  • Ótima relação com os fornecedores;


Para saber se um ponto forte em específico realmente faz sentido nessa lista, basta pensar da seguinte maneira: se todos os meus concorrentes possuem esta mesma qualidade, então ela deixa de ser um ponto forte e vira uma necessidade.  


Fique atento aos pontos fracos


De forma resumida, podemos dizer que os pontos fracos são os fatores que reduzem a capacidade de uma empresa de atingir seus objetivos. Entre eles encontramos: 


  • Gestão ineficiente;
  • Falta de financiamento;
  • Uma equipe de marketing que não atende as necessidades da organização;
  • Máquinas e equipamentos muito antigos e ultrapassados;
  • Fornecedores pouco confiáveis.

Por mais difícil que seja notar que nem tudo está bem na empresa, você precisa ser honesto no levantamento destes dados, ok? Afinal, uma análise precisa pode fazer a diferença na hora de colocar as coisas no caminho certo.  


Encontrando oportunidades


As oportunidades podem ser descritas como fatores externos que permitem que o seu negócio atinja o patamar desejado, tornando-se, no final das contas, altamente lucrativo.  


Para encontrar tais oportunidades é preciso analisar: 

  • Inovações e avanços tecnológicos em alta;
  • Novos mercados;
  • As principais tendências de consumo.


Identificando ameaças


Por outro lado, as ameaças são espécies de obstáculos externos que o seu negócio precisa superar para crescer. Alguns exemplos são: 

  • Mudanças tecnológicas;
  • Falta de mão de obra especializada;
  • Economia fraca e em declínio;
  • Uma mudança no foco dos consumidores, que passaram a buscar por diferentes produtos;
  • Alterações legais.


Como aplicar a análise SWOT no seu negócio?


Certo, você desenvolveu e conseguiu encontrar os pontos mais importantes para finalizar a sua análise SWOT. Agora, é hora de criar ações para colocá-la em prática. Para isso, os seguintes passos devem ser dados: 


  • Sua equipe de gerenciamento de produtos deve combinar as fraquezas e ameaças encontradas, com o objetivo de alcançar melhorias imediatas;
  • O financeiro deve pesar tanto os pontos fortes quanto os pontos fracos. A ideia é achar um equilíbrio e conseguir melhorar a situação monetária da empresa;
  • O marketing, por sua vez, precisará combinar as oportunidades e os pontos fortes levantados na análise, visando chegar ao público em potencial de modo mais certeiro e rápido;
  • A equipe de operações deve unir os pontos fracos e as oportunidades para melhorar, com consistência, o fluxo de trabalho.


Importância da análise FOFA para o planejamento estratégico 


Como vimos até aqui, uma análise FOFA bem-feita auxilia na avaliação da posição da empresa, principalmente frente a um mercado competitivo, ajudando na tomada de decisões e na montagem de um roteiro a ser seguido.  


Logo, podemos afirmar que tal análise é de extrema importância, visto que: 


  • Permite que uma organização analise suas forças (vantagens), o que pode ser muito útil na hora de se colocar no mercado e de explorá-lo;
  • Ajuda a empresa a obter uma maior visibilidade de seu atual status, permitindo que a mesma entenda e avalie seu desempenho geral no mundo dos negócios;
  • Permite que toda e qualquer empresa obtenha uma visão apurada de seus pontos fracos e áreas de potencial melhoria. Tais informações auxiliam no planejamento e na mitigação de futuros obstáculos, garantindo um crescimento a longo prazo;
  • Possibilita que a empresa crie um plano estratégico para atender os objetivos almejados, ajudando-a a se adaptar às mudanças nos mais diversos cenários do mercado;
  • Permite que o seu negócio identifique e melhore fatores internos e externos, bem como seus impactos positivos e negativos para a empresa. Essas informações, por sua vez, ajudam na proatividade frente a um mercado dinâmico.


Ou seja, com todos esses pontos em mente, podemos concluir que a análise SWOT é uma ferramenta de extrema importância para compreendermos a saúde da organização como um todo, bem como a sua posição estratégica.  


Exemplos de análise SWOT 


Levando em consideração que possuímos, quando o assunto é análise SWOT, dois fatores principais para os negócios, os internos e os externos, podemos utilizar os exemplos abaixo como base para desenvolvermos a FOFA: 


Análise SWOT para um plano de negócios


Se o seu objetivo é criar um plano de negócios partindo da sua análise SWOT, você deve focar nos seguintes tópicos: 


Tenha um objetivo claro 


Junte sua equipe de marketing, caso exista uma, e discutam qual tópico necessita de atenção imediata e com quais palavras ele pode ser colocado no papel. Desta maneira, a análise SWOT pode ser realizada de forma mais organizada e eficiente.  


Por exemplo, se uma empresa pretende compreender se deve ou não lançar um novo produto, esse deve ser o norte do planejamento, ao menos naquele momento.  


Desenvolva uma pesquisa para entender melhor o seu mercado 


Para que a sua análise FOFA seja bem-sucedida, você deve compreender completamente o que o seu mercado tem para oferecer. Por isso, é fundamental verificar os atuais lançamentos tecnológicos, as tendências no atendimento aos clientes, como os seus concorrentes têm se portado, entre outros pontos.  


Identifique os pontos fortes do seu negócio 


Qualquer organização precisa, de maneira efetiva, entender quais são os seus pontos fortes, bem como as características de seu funcionamento que fazem a diferença com relação aos concorrentes. 


As respostas para cada uma dessas perguntas devem ser anotadas e estudadas a fundo, com foco na força de trabalho, na sua localização, na qualidade de seus produtos e no desempenho de seus funcionários.  


Identifique os pontos fracos do seu negócio


Existem determinados elementos de uma organização que precisam ser melhorados constantemente. Os profissionais de marketing, logo, devem criar uma lista com esses elementos que acreditam estar prejudicando o desenvolvimento e reputação da marca frente ao mercado.  


Assim, o foco principal dos dados coletados na análise é reconhecer as fraquezas e trabalhar para eliminá-las por completo. Vale lembrar que a lista criada pode incluir aspectos como a diminuição no número de clientes, uma menor participação no mercado e a falta de mão de obra qualificada.  


Identifique oportunidade em potencial


Nesse ponto, é preciso avaliar fatores externos que podem ser lucrativos para o crescimento do seu negócio. Ao listar as oportunidades encontradas, deve-se ter em mente que as mesmas não podem, de maneira alguma, ser uma ameaça para o negócio. 


Como isso é possível? Simples: se a sua empresa lançar um produto que necessite de um alto investimento, mas, em seguida, um concorrente oferecer a mesma solução com custos menores, a oportunidade acaba virando ameaça.  


Identifique as ameaças para a empresa


Anote ainda os fatores que fazem parte de todo o ecossistema de uma organização, independentemente de seu porte, mas que são ameaças ao crescimento da mesma. Um bom exemplo são os mercados instáveis ou uma concorrência que não para de crescer. 


Lembrando que esse é um meio de realizar a análise SWOT com foco em um plano de negócios. No entanto, os mesmos tópicos podem ser utilizados para diversos outros pontos, inclusive, para o gerenciamento de crises.  


Conclusão 


Por fim, concluímos que uma análise SWOT realizada de maneira completa pode ajudar a posicionar a sua marca e empresa, garantindo enormes vantagens sobre a concorrência. Ou seja, identificar seus pontos fortes e fracos possibilita que você os otimize, melhorando sua visão no mercado.  


A análise ainda lhe ajuda a não ignorar problemas em potencial e a prever ameaças que podem destruir seus projetos e planos.  


Por isso, leve essa ferramenta à sério e preste a atenção em cada tópico preenchido. Encontre no tempo investido em seu desenvolvimento uma oportunidade de melhorar o seu negócio, tornando-o mais sustentável e menos suscetível aos imprevistos da economia.  


Agora que você já sabe o que é e para que serve uma análise SWOT, que tal investir também no marketing de conteúdo da sua empresa ou de sua imagem pessoal? Para isso, basta acessar o site da RedaWeb agora mesmo ou ligar no 0800 750 5564.  


Assim, você confere nossos planos especiais e encontra o que melhor se encaixa nos seus objetivos.  



Artigos relacionados.

Ver mais artigos
-dicas-de-conteudo-para-sua-loja-virtual criacao-de-personas-guia-simples-para-iniciantes qual-e-o-tamanho-indicado-para-postagens-online-saiba-aqui
Whatsapp
Ligue grátis 0800 750 5564
Ligue grátis 0800 750 5564