Campanhas em vídeo: otimize o seu conteúdo com Adwords

Visualizações, curtidas, comentários, compartilhamentos. Tudo o que uma pessoa almeja ao criar uma campanha em vídeo é o sucesso. Entretanto, o sucesso de um material audiovisual não está ligado apenas à sua produção, mas principalmente ao seu retorno financeiro, isto é, no valor monetário que cada clique trará ao seu criador. Nesse sentido, de modo a otimizar o trabalho do idealizador de um vídeo, surge o Google Adwords, conhecido agora como Ads.

Segundo um estudo, foi constatado que o Google é responsável por 61% do tráfego online, a partir de suas plataformas disponíveis para busca. Desse modo, quanto melhor posicionado um site estiver em uma página de resultados, maior a possibilidade de atrair usuários, receber cliques e, por conseguinte, alavancar o negócio de um empresa, seja ele qual for.  

Na busca da melhor evidência de seus nomes, as empresas estão, cada dia mais, investindo nos anúncios desta plataforma de busca. Ainda que sua primeira versão tenha sido lançada nos anos 2000, seu crescimento de fato tem ocorrido desde a última década, quando as empresas começaram a vislumbrar nas plataformas digitais um novo modo de fazer negócios. A inovação da ferramenta facilita a vida do cliente ao propor divulgação em plataformas, sobretudo no YouTube, após um pagamento mensal pelo Adwords. 

Para facilitar também a vida do contratante, o Adwords disponibiliza quatro tipos de campanhas em vídeo. São elas: 

  • TrueView In-stream, focado na captação de leads, alcance da marca, tráfego no site e consideração de produto e marca, de modo que os anúncios passem antes, durante ou depois dos vídeos, cujo usuário pode ignorar após 5 segundos; 
  • Bumper, o objetivo é apenas alcançar a notoriedade da marca, fazendo com que os vídeos passem em 6 segundos, porém não possam ser ignorados; 
  • Outstream, novamente trabalhando a notoriedade e alcance da marca, ao serem reproduzidos automaticamente, sem som, e deixando livre ao usuário poder “saber mais” ou dispensar o material; 
  • TrueView Video Discovery, que trabalha a consideração da marca, quando a pessoa clica na miniatura do vídeo.

Obviamente, a cada tipo há um retorno que condiz com as especificidades e restrições do Google. Assim, a arrecadação de cada um dos tipos de campanha de vídeo acima são distintos. No In-stream, por exemplo, o anunciante paga à empresa apenas quando são assistidos 30 segundos da propaganda. Para o Bumper e Outstream, o sistema funciona de acordo com cada 1000 pessoas que viram o anúncio, o que é chamado de custo por mil impressões (CPM). Agora, na contramão dos sistemas anteriores, o pagamento no Video Discovery acontece apenas se o usuário interagir com a miniatura.

Sim, nós sabemos. É um tema vasto e complicado. Por isso, dada a complexidade e magnitude do tema, o Google resolveu abrir salas de treinamentos gratuitos em 2019 para explicar sobre este e outros produtos. Isso mesmo! A gigante global decidiu disseminar informação ao público sobre estratégias para melhor aproveitamento do Ads em ambientes de trabalho e estudo. Em palestras ao redor do Brasil, o Google ministrou treinamentos em Brasília, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, Goiânia e Rio de Janeiro. Durante tais eventos, a empresa deu dicas sobre os possíveis serviços a serem realizados a partir da ferramenta para otimizar os negócios das empresas, assim como atingir o consumidor de modo eficaz e direto.

Dicas de otimização com Adwords 

  1. Jamais usar a página inicial como landing page, já que uma página inicial nem sempre é segmentada para um perfil de mercado específico. Os anúncios do Ads, outrora, usam palavras-chave e anúncios, que atraem um grupo de pessoas anteriormente definidos. A partir de quantas pessoas clicaram em cada anúncio, é possível dar preferência aos anúncios mais eficazes.
  2. Utilizar Geotargeting! Sim. Com ele, é possível refinar e garantir a atração de usuários fins por meio da geolocalização. Isto é, aqueles que realmente podem consumir produtos e serviços. Afinal, se você abre uma loja de agasalhos e cachecóis em um local onde pouco faz frio, o resultado pode ser pífio. Logo, é preciso redirecionar seu público para regiões que contenham serras ou lugares propícios ao clima.
  3. Inserir palavra-chave no URL de visualização. 
  4. Cercear a segmentação. Aqui, é fundamental exibir seus anúncios para um público-alvo ou nicho específico, de acordo com seus interesses: beleza, moda, games, dentre outros fatores.
  5. Grupos demográficos. É interessante escolher a idade, o sexo e a condição financeira dos indivíduos que a empresa deseja alcançar.
  6. Afinidade. Por meio deste método, é possível aumentar o reconhecimento e alcançar pessoas que se interessem pelos assuntos relacionados.
  7. Às vezes, é mais viável investir em anúncios mais breves, uma vez que eles têm taxas de visualização maiores. Se o anúncio pode transmitir a mesma mensagem em 30 segundos, por que transmiti-lo por mais tempo?
  8. Tentar reduzir o custo por visualização (CPV). Caso ele esteja maior que o CPV desejado, é hora de alcançar um público-alvo mais amplo.
  9. 8 de novo: foco no CPV! Por meio dele, pode-se entender a competitividade do seu anúncio. Afinal, ninguém gostaria de pagar mais pelas visualizações do que gostaria. Ao acompanhar e ajustar o CPV, é possível transmitir uma mensagem com mais eficiência, além de poder observar com mais facilidade um possível sinal de desgaste do anúncio, se já estiver em exibição há algum tempo. 

Como obter melhores resultados a partir de campanhas avançadas? 

Uma boa opção também para otimização de campanhas é configurar as programações das campanhas. Assim, é possível especificar os horários e os dias em que os anúncios devem ser exibidos, além de ter uma expectativa de quanto tempo eles ficarão no ar. A partir deste fluxo, é mais fácil manter seus conteúdos sempre em dia e atraindo mais pessoas, em vez de criar um esgotamento na peça e um cansaço em quem está visualizando o material. 

Por isso, é válido também considerar fazer a programação do anúncio em vídeo in-stream, de modo a ser exibido ao longo de todo o mês, em dias-chave. Ademais, também é possível definir um limite para essa frequência de exibição, cerceando a quantidade em que os anúncios aparecem para os usuários, sejam eles no YouTube ou não.

Outro método eficaz, ainda que nem sempre tão utilizado, é optar por hospedar o seu anúncio em um site ou vídeo que tenha o mesmo idioma que o seu. Afinal, o Google Adwords estuda qual a definição de idioma que o usuário tem ou em qual língua ele costuma fazer suas buscas. E, com base nisso, faz a exibição de uma forma que o consumidor compreenda o seu material e, acima de tudo, tenha interesse pelo mesmo.

Por isso, após esta explicação, recomendamos que você pesquise na sua empresa a possibilidade de fechar uma parceria com o próprio Google, a fim de adquirir o produto Adwords. 

Se você precisa de ajuda para investir nessa estratégia, não deixe de entrar em contato com a RedaWeb, seja pelo site, por e-mail ou pelo telefone 0800 750 5564. Vale lembrar que por meio deste número também é possível assinar um plano de produção de conteúdo que combine com as suas necessidades. Estamos esperando por você!