Conheça os diferentes tipos de links para SEO

Raras são as empresas que não estão presentes na web e não fazem parte das buscas do Google. O maior site do mundo é referência de pesquisa por palavra-chave e praticamente todos que possuem um site, página ou blog fazem parte dele. Mas, para se destacar em meio à concorrência e sair na frente, é preciso trabalhar com o SEO, que são estratégias para melhorar a performance no ranking de buscas. 

O SEO funciona como uma ligação entre a página e o Google, analisando as falhas e como é possível aprimorar o site para chegar às primeiras posições nas buscas. Além de contar com conteúdo de relevância, velocidade e visual atraente, é preciso utilizar algumas técnicas, como os links, para atingir os patamares esperados. São detalhes fundamentais e, escolhas erradas podem prejudicar todo o planejamento. 


Quais são os links e como usá-los

Para trabalhar com o SEO é preciso ter bastante clareza sobre conceitos e técnicas que podem ser utilizados, para que um detalhe simples, que não foi notado, desperdice tempo e dinheiro nas estratégias. 

Essa preocupação é ainda mais contundente quando se fala nos links. Como muitas vezes os conceitos sobre eles no SEO são superficiais e com poucas informações relevantes, há dificuldades em compreender os melhores momentos para otimizá-los e quais são suas consequências.  

São muito técnicas as otimizações do SEO e, por isso, não cabe aqui uma avaliação mais profunda, mas, caso não estejam bastante definidos, os links podem ser utilizados equivocadamente. 

Abaixo, há uma melhor definição sobre os tipos de link usados no SEO, suas características e nomenclaturas para serem usados da melhor forma:


1 – Links internos (inbound links)

Sua estrutura é interna e estão inseridos no site, conectados entre si. Possuem a mesma fonte e domínio e ajudam a criar uma hierarquia de páginas, que vão direcionando o usuário de acordo com o grau de relevância das informações que ele irá receber. 

Para o SEO, os links internos ajudam a melhorar o ranqueamento no Google, com base em como funcionam os seus algoritmos de busca. O algoritmo do Google acessa o site por meio desses links e segue por eles até as páginas que estão conectadas. Se houver alguma falha nessa navegação que rompa dados importantes relacionados ao site, como contatos, o algoritmo não completa a navegação. 

O SEO detecta se há falhas entre os links internos e os acerta para evitar que isso aconteça. Um simples detalhe pode retirar o site do ranqueamento, mesmo que todo o restante esteja bem produzido. Para facilitar, é importante deixar disponível um mapa do site, capaz de facilitar as buscas caso ocorra algum problema no caminho. 

 

2 – Link externo (outbound links) 

Oposto do interno, o link externo conecta o site com outros domínios. Ele pode apontar para a sua própria página, mas também para outras, e é a esse ponto que o SEO deve ficar atento. 

O Google considera a qualidade dos links formados e pode posicionar a página de acordo com suas conexões. É fundamental linkar sites que possuam conteúdos relevantes e sejam focados em qualidade. O mesmo acontece se houver citação da sua página por outros bons sites, o que transmite confiabilidade. 

Não há limites para essas conexões e, quanto mais links positivos forem agregados, melhores serão os algoritmos de ranqueamento. Mas cuidado com os links artificiais, que podem causar efeito oposto no Google, que preza a qualidade e não a quantidade. 


3 – Links recíprocos (reciprocal links) 

O princípio é o mesmo dos links externos, mas o site receptor também é um doador. A prática é realizada entre as partes, que em geral possuem interesses total ou parcialmente correlatos. A proposta é que a reciprocidade valorize as páginas e elas se posicionem melhor nas buscas do Google. 

Porém, certas práticas utilizam links artificiais para subir no ranking, e o Google pode considerar essa ação como link spam e prejudicar a página. 

O conceito dos links recíprocos vem desafiando o Google, que criou um algoritmo específico para detectá-los e agora desconta todos. Na proposta do site de busca, os conteúdos de qualidade se atraem, criando naturalmente uma conexão. Quando eles são acordados pelas partes, perde-se esse objetivo. 

Para driblar essa patrulha do Google, os webmasters podem, ainda, utilizar um método mais sofisticado de links recíprocos, a partir de três vias. Nele, três ou mais sites se interconectam e podem valorizar ainda mais o seu conteúdo nas buscas. O Google também vem buscando detectar essa categoria, mas ainda não teve bons resultados. 

Para um planejamento de SEO, a ideia é não focar esses links recíprocos, já que, por não serem bem compreendidos e aceitos pelo Google, a página e a qualidade do conteúdo podem ser prejudicadas. 


4 – Links de redes sociais (Social Links) 

São os links formados em ações nas redes sociais, peças importantes em estratégias de SEO. Esses links influenciam bastante o ranqueamento do Google, especialmente quando também são feitos com relevância e qualidade. 

Eles ajudam nas técnicas que envolvem SEO e redes sociais, que tendem a ser mais complexas do que se imagina. As técnicas são bastante sutis, envolvendo a definição de temas e palavra-chave, com a busca daquelas variações menos disputadas e que podem valorizar o ranqueamento. O conteúdo também é diferenciado e precisa ser uma experiência de interação com o usuário, mas também ser claro, conciso e com uma linguagem própria à persona. 


5 – Links pagos (Paid links) 

São os links mais mal vistos pelo Google, já que são criados por meio de pagamento ou troca de favores. O buscador possui ferramentas específicas para detectar essa prática e pode punir o site severamente, inclusive banindo-o da página. 


6 – Links patrocinados

Diferente do link pago, é uma ferramenta do Google que age como anúncios, destacando o link nas primeiras posições nas pesquisas. Eles são pagos e há uma descrição abaixo, avisando o usuário sobre sua procedência, mas ainda assim possuem ótimo retorno e resultado imediato. 

Eles também surgem após a inclusão de palavra-chave pelo usuário, posicionando-se na parte superior da página, acima dos sites que aparecem de forma orgânica. 


Link building

O link building é uma estratégia que constrói links externos para melhorar o ranqueamento do site, aumentar sua popularidade nas buscas, ampliar o tráfego e se tornar relevante. Ele leva em consideração três pilares essenciais: a qualidade, a quantidade e a relevância. 

Os links são de suma importância para os algoritmos do Google e, quanto mais relevante for sua origem, maior valor eles recebem na pontuação de ranqueamento. Para realizar o link building, o SEO utiliza ferramentas que permitem analisar a evolução dessa estratégia no site e onde podem ser feitos reparos para melhorar a performance. 

Há vários tipos de links que podem otimizar um site ou prejudicá-lo no ranqueamento do Google, e o SEO interfere diretamente na sua organização, observando as características particulares de cada um. Acesse o site da RedaWeb ou ligue para nós no 0800 750 5564 caso queira assinar um plano de produção de conteúdo!