Dicas de métricas para otimizar o marketing de conteúdo

Acompanhar métricas é parte fundamental do trabalho em marketing de conteúdo. Afinal, elas funcionam como um termômetro, sendo capazes de indicar se as estratégias da empresa estão dando resultados ou se precisam ser reformuladas. 

Neste artigo, vamos apresentar dicas de métricas que podem ajudar você a otimizar o marketing de conteúdo do seu negócio. Confira!

Por que acompanhar métricas?

As métricas são um conjunto de estatísticas e medidas de desempenho que permitem o monitoramento e a gestão de estratégias. Apesar de ainda serem deixadas de lado por muitas empresas, elas são essenciais para o crescimento de um empreendimento. 

As métricas permitem verificar se as ações de marketing estão surtindo efeito, o que pode servir tanto para corrigir problemas como para validar esforços e impulsionar o crescimento dos resultados. 

Muitas vezes, quando o desempenho da empresa não é acompanhado, há desperdício de tempo e de dinheiro em ações que resultam em pouco retorno. Por isso, as métricas são instrumentos fundamentais para otimização dos trabalhos. Hoje, no entanto, existem tantas opções, que muitas vezes é difícil saber a quais indicadores dar prioridade. Por isso, listamos para você as principais métricas que devem ser acompanhadas no dia a dia da empresa. 

Tráfego no site

O número de visitantes no site ou no blog da empresa em determinado período é uma métrica útil para controlar o alcance do seu negócio na internet. Com ela, é possível identificar o comportamento dos clientes, como o tipo de conteúdo que mais lhes interessa e os horários mais comuns de acesso. 

Outra métrica importante é o número de visitantes recorrentes, que analisa as pessoas que entraram no site e voltaram depois, de forma mais específica. 

O tempo de permanência na página também é interessante, já que permite identificar os conteúdos que mais conquistaram o público e estudar o porquê disso. A razão pode ir desde a formatação da página até a linguagem do texto, além do conteúdo por si só. 

É válido analisar ainda quais são as fontes de tráfego, isto é, de onde vêm as pessoas que acessam o site – redes sociais, mecanismos de buscas, etc. Assim, é possível verificar quais canais de atração da empresa estão funcionando melhor e quais precisam de ajustes. 

A bounce rate, ou taxa de rejeição, também pode contribuir para a otimização do marketing de conteúdo. Ela indica quantas pessoas saíram do site na mesma página em que entraram, sem navegar por outros conteúdos. 

Cada página tem sua própria taxa de rejeição, por isso é possível perceber as fraquezas daquelas que alcançam números negativos e corrigi-las. Uma boa estratégia pode ser a inserção de um Call To Action (CTA), por exemplo. 

Medindo a conversão

As conversões acontecem quando você faz o usuário do seu site cumprir uma ação com valor mensurável para o seu negócio, avançando um passo para se tornar um cliente. Isso vai desde assinatura de uma newsletter, o download de um material e a inscrição em um webinar, por exemplo, até a compra do produto ou serviço da empresa.

Como essa conquista de leads é o objetivo principal do marketing de conteúdo, a taxa de conversões é uma das métricas mais importantes para uma empresa, já que indica com quantas pessoas a empresa efetivamente está se relacionando. 

Dentro desse objetivo, é possível tanto medir o número total de conversões quanto a taxa de conversão dentro do funil. Com essa segunda métrica, analisa-se o número de conversões em cada parte do funil de vendas. Isso é importante porque permite monitorar como está cada etapa do funil e identificar possíveis problemas localizados.

Outra métrica de conversão é a taxa de cliques, ou Click Through Rate (CTR). Ela mede o número de cliques em links, como aqueles espalhados pelo conteúdo do seu site ou enviados via e-mail marketing, por exemplo. 

Saber o CTR pode ajudar a entender se os conteúdos estão estimulando o interesse das pessoas, afinal, quanto mais cliques, mais chances de transformá-las em leads. 

Métricas de receita

Também existem diversas métricas voltadas à receita do seu negócio. Além de ajudar a acompanhar o lucro da empresa e verificar se os investimentos financeiros estão valendo a pena, elas auxiliam na construção de um planejamento mais eficiente.

Entre as métricas de receita, podemos destacar o Lifetime Value (LTV), ou “valor vitalício”, que é a receita que o cliente gera para a empresa durante o tempo de relacionamento. O cálculo é feito da seguinte forma: 

LTV = Ticket Médio (por compra) × Média de transações por cliente (por ano) × Média de tempo de relacionamento (em anos).

Assim, supondo que os clientes gastem R$200 por compra mensal e o tempo médio de contrato seja de 5 anos, teríamos: LTV = 200 x 12 x 5 = 12.000.

Outra métrica é o Custo de Aquisição de Clientes (CAC), que pode ser relacionado ao LTV. O CAC calcula o investimento médio de um negócio para conquistar novos clientes. Para obtê-lo, basta dividir a soma dos investimentos para adquirir um cliente pelo número de clientes conquistados em determinado período. 

É importante que se desconsidere os gastos de áreas que não atuam diretamente no alcance de clientes, como suporte e administração. Também é preciso ter o cuidado de contar somente os clientes conquistados pelos canais considerados nos investimentos. O cálculo fica assim:

CAC = Soma de investimentos / número de novos clientes.

Então, se uma empresa investiu R$1.000 em um mês nas áreas de Marketing e Vendas e ganhou 5 novos clientes, seu CAC é R$200. 

Em empresas tradicionais, de compras pontuais, é fácil verificar se o CAC está bom: ele deve ser menor que o ticket médio gasto pelo cliente. Já em negócios de pagamentos recorrentes, como assinaturas, o CAC deve ser menor que o LTV. 

Por exemplo, se o CAC é de R$800 e o LTV R$600, a empresa está tendo prejuízo, pois gasta mais para adquirir um cliente do que recebe com ele durante o relacionamento. 

Por fim, ainda vale destacar a métrica Retorno Sobre Investimento (ROI), que calcula o retorno que uma empresa alcançou a partir de determinado valor investido. A conta é bem simples:

ROI = (receita - custo do investimento) / custo do investimento

Supondo que o investimento da empresa foi de R$2.000 e a receita de R$8.000, o ROI é de 0,75, ou seja, o retorno sobre o valor investido foi de 75%.

Você já está analisando essas métricas na sua empresa? Com certeza seguindo nossas dicas e examinando esses indicadores você conseguirá traçar as melhores estratégias e alcançar resultados cada vez mais eficientes em seu negócio. 

Se você quer saber mais sobre marketing de conteúdo ou tem interesse em contratar uma empresa especializada para produzir conteúdos de alta qualidade para seu site, blog ou redes sociais, acesse o site da RedaWeb ou ligue para 0800 750 5564.