Dicas para criar conteúdos personalizados

Por dia, milhões de conteúdos são criados por empresas com o objetivo, tanto de atrair clientes quanto de fidelizar os que elas já conquistaram. Fazendo uma coisa ou outra, a marca poderá preservar a sua saúde financeira, bem como o seu poder de investimento. Com isso, poderá aproveitar melhor as oportunidades de negócios. 

A título de curiosidade, conforme o site Internet Live Stats, só em 2020, já foram feitos mais de 908 milhões de posts para blogs. Isso sem deixar de considerar outros dados, como, por exemplo, o fato de que 11 trilhões de fotos foram enviadas para o Instagram até o presente momento. 

Enquanto você aprecia este conteúdo, certamente milhões de conteúdos estão sendo produzidos e publicados nas mais diversas redes sociais, sites e blogs. 

Diante dessa realidade, pensar de maneira peculiar é indispensável para garantir destaque ao seu conteúdo. Foi por essa razão que montamos este texto, que traz algumas dicas sobre como criar conteúdos personalizados. 

Confira e faça a sua empresa se destacar! 

Estude e defina o perfil do seu público

A primeira dica é a mais importante, vale dizer. Afinal, só podemos criar um conteúdo personalizado quando conhecemos bem o público a que ele se destina. 

Por essa razão, estude e defina o perfil do público que terá acesso ao conteúdo que produzir. Toda informação que diga respeito ao seu público é fundamental nesse processo. 

Geralmente, os especialistas em marketing digital ou de conteúdo traçam uma persona, que é um perfil fictício do público de sua empresa ou o tipo de público que deseja atingir com determinada estratégia de marketing. 

Para definir a persona, é preciso considerar uma série de dados, como por exemplo: 

  • Faixa etária; 
  • Ocupação profissional; 
  • Nível de escolaridade (ensino médio, superior, pós-graduação, etc.)
  • Ambições pessoais e profissionais; 
  • O que ela gosta de fazer; 
  • Que tipo de informação ela gosta de ler para se atualizar, tanto em relação à sua vida profissional, como pessoal. 

Como se pode visualizar, tendo essas informações em mãos, é possível desenvolver um conteúdo personalizado, que seja capaz de criar uma conexão com que irá acessá-lo. 

Construa um indicador de perfil (ou briefing)

Nesse caso em específico, podemos entender o indicador de perfil ou briefing como um breve resumo que apresentará as principais informações da persona. 

Esse indicador de perfil pode ser inserido no projeto de marketing de conteúdo, para orientar os profissionais que fazem parte do processo de construção, alinhamento e divulgação do conteúdo. 

Muitas vezes, ainda que a empresa tenha em mãos as informações sobre o público, ela não sabe geri-las adequadamente, de maneira que somente algumas pessoas têm acesso a elas, o que pode ser um erro, uma vez que os profissionais ficam ou podem ficar perdidos no processo. 

O ideal é deixar esse indicador de perfil ou briefing visível para todos os profissionais envolvidos, pois eles podem não só trabalhar para que o conteúdo atinja o nível de personalização que se deseja, mas a construção de um conteúdo que seja capaz de gerar resultados excelentes. 

Adote uma linguagem e um tom personalizados

Quando falamos que o primeiro tópico é o mais importante de todos, não estávamos brincando. Esse, por exemplo, deriva dele. 

Então, para produzir um conteúdo personalizado, é mais do que essencial que adote uma linguagem personalizada, que esteja alinhada ao perfil do seu público. 

Aqui, compreendemos a linguagem não apenas como o tom ideal para escrever um conteúdo, caso seja textual, mas também o formato em que ele se apresentará. 

Nesse sentido, vale a pena se fazer duas perguntas, as quais poderão lhe orientar durante o processo de produção do conteúdo: qual o tom ideal que devemos abordar para atrair a atenção de nossa persona? Qual o formato de conteúdo que a nossa persona tem mais encanto ou atração? 

No que diz respeito ao primeiro questionamento, para encontrar o tom ideal do conteúdo é fundamental considerar o nível de acessibilidade da sua persona, algo que pode ser descoberto considerando o seu nível de escolaridade e ocupação profissional. 

Por exemplo, um engenheiro de produção talvez prefira ter acesso a conteúdos que adotem um tom técnico na apresentação de informações. Já um floricultor é muito provável que goste de ler conteúdos com um tom amigável, que expresse um pouco de informalidade. 

Em relação ao formato do conteúdo (texto, vídeo, imagem, podcast, etc.), a escolha depende não apenas da plataforma onde deseja publicar esses conteúdos, mas também do interesse da sua persona. Dificilmente um executivo terá tempo de assistir um vídeo longo, mas poderá, por exemplo, ler um conteúdo textual curto, de 500 palavras, que traga alguma informação sobre inovação em seu campo de atuação, enquanto se dirige para a empresa ou reunião de negócios. 

Faça pesquisas com o cliente ou potencial cliente

Quando o objetivo é alcançar o sucesso, a pesquisa se torna uma ferramenta indispensável. Então, como última dica, realize pesquisas diretamente com o público que é cliente de sua empresa ou com aquele que tem acesso ao seu conteúdo, mas que está ali apenas como visitante ou uma oportunidade de negócio. 

Hoje, é muito comum as pessoas procurarem por determinada “palavra-chave” no Google, encontrar alguns sites ou blogs que tratam do assunto da “palavra-chave”, para se aprofundar em relação a um determinado tema ou tirar dúvidas. Quem nunca fez isso? 

Mas, como alcançar o visitante de um blog ou site que é referência em conteúdos sobre um tema? É mais simples do que imagina. 

Certamente, é muito provável que já tenha ouvido falar ou lido por aí sobre uma estratégia chamada de CTA, que nada mais é do que uma chamada para ação. Consiste em estimular o leitor ou a persona a fazer algo que a empresa deseje, como realizar a compra de um produto ou serviço, assinar uma newsletter ou se cadastrar no site do cliente. 

A chamada para ação é aplicada, geralmente, em conteúdos textuais, podendo aparecer no início, meio ou final do conteúdo. No entanto, nada impede que seja aplicada na prática, em vídeos ou stories.  

Como dica, a ideia é utilizar a chamada para ação dentro de um conteúdo para estimular a persona a comentar sobre o conteúdo que ela apreciou e o que mais ela gostaria de ler, ver ou escutar. Com base nisso, você pode criar um conteúdo mais personalizado e, o melhor, com o aval do maior interesse: o seu público. 

Gostou das nossas dicas? Esperamos que a partir delas a sua empresa crie um conteúdo personalizado que seja capaz de encantar o seu cliente e potencial consumidor. 

Está precisando de ajuda nesse sentido? Entre em contato com a RedaWeb. Somos uma agência de conteúdo referência na área. Ligue para 0800 7505564 ou, se preferir, assine um plano de produção de conteúdo diretamente em nosso site.