E-book: uma ferramenta para atrair leads

O marketing digital vem utilizando vários canais de comunicação e ferramentas para gerar novos leads, e com isso chegar aos esperados resultados definidos no planejamento. Não é tarefa fácil criar estratégias que conquistem leads qualificados, muito menos há uma ampla compreensão do que se trata o tema, especialmente quando para iniciantes.

O significado de lead tem um amplo conceito dentro do inbound marketing, que não se resume a uma mera tradução, mas pode ser simplificado como um consumidor em potencial a quem a marca pode investir. O que se chama de geração de leads nada mais é do que ações que conseguem atrair pessoas com o perfil desejado e que mostram interesse no site. Um dos mecanismos usados atualmente e com ótimos retornos é o e-book sobre temas da área de atuação. 


O amplo conceito de lead

O objetivo básico do marketing digital é criar oportunidades de negócios que englobam uma série vasta de técnicas, ferramentas e canais na web. Como o ambiente digital fortaleceu e expandiu as relações entre consumidores e empresas, todas as estratégias criadas visam atrair pessoas, conquistá-las com o que tem a dizer e fazer com que elas comprem e se tornem clientes satisfeitas, tudo sempre com a melhor experiência. 

Não é fácil trazer visitantes para um site, nem fazer com que ele se interesse pelo que se tem a dizer ali. A forma de consumo vem mudando radicalmente nas últimas décadas, apresentando um consumidor atento ao produto, que evita comprar por impulso e quer adquirir um produto ou serviço agregado a valores. 

O marketing entendeu essa transformação e vem se estruturando para se tornar cada vez mais uma experiência relevante para o consumidor. Se antes o marketing tradicional focava na atração de novos clientes e na venda, hoje ele se estende além da venda e também busca o relacionamento, a interatividade e a parceria. 

O inbound marketing faz parte do planejamento de marketing e corresponde a um conjunto de estratégias com o foco de encantar e converter novos clientes. Diferentemente das divulgações tradicionais, seus mecanismos não vão até o cliente, mas o atrai ao que tem a dizer e o torna parte da marca. 

A estrutura do inbound marketing é um conteúdo de qualidade, produzido a partir de pesquisas sobre temas e assuntos que são de interesse do público-alvo e fazem parte da área atuante da empresa. Também é fundamental que sejam exclusivos, com referências reais. Esses conteúdos não se restringem apenas a artigos, mas podem incluir outros formatos de textos, imagens, vídeos, podcast e e-books. 

Toda essa elaboração de conteúdo para uma plataforma visa a geração de leads. Em inglês, a palavra significa conduzir, mas na prática seu conceito é bem amplo e é denominado como os usuários de web que entraram na plataforma, travaram algum tipo de contato com o conteúdo e demonstraram interesse em saber mais sobre a marca. 

Ele não é mais um visitante estranho que entrou no link por curiosidade. O lead estabelece um contato, reage às publicações, preenche formulários e se mostra ao marketing como minimamente disponível para passar para novas fases estratégicas. 

A geração de leads limita um grupo de usuários com esse tipo de comportamento, para criar porcentagens que facilitam a análise de dados. Nelas é possível identificar os que avançaram no funil de vendas e se tornaram qualificados ou os que estagnaram e não representam mais potenciais clientes. 

Quanto maior for a geração de leads, maior tende a ser a sua conversão e os resultados. Mas, se há uma grande geração de leads e resultados insatisfatórios, essa atração está sendo realizada de forma equivocada. A má aplicação de estratégias pode causar falhas na identificação de clientes em potencial e é preciso revisar o funil de vendas para encontrar onde está o erro. 

Quando um visitante se torna um lead, ele inicia um caminho chamado funil de vendas, até que se torne um cliente de fato. São apenas quatro etapas que começam com a atração, seguida pela conversão, fechamento e encantamento, sendo as duas primeiras responsáveis pela geração de leads e sua qualificação. 


O e-book pode fazer a diferença

O e-book é um tipo de conteúdo que tem crescido muito em resultados nos canais de comunicação. Ele é um tipo de isca, na qual, em troca de um conteúdo mais rico e oferecido gratuitamente, os visitantes precisam preencher um formulário com seus dados básicos. Em alguns casos, o e-book é enviado por e-mail marketing para um público mais segmentado. 

Ele deve ser um produto de alta qualidade informativa, com princípio, meio e fim, para não deixar o leitor frustrado. Ao contrário, o intuito é torná-lo tão satisfeito que venha a se interessar de forma mais efetiva pelo que a marca tem a oferecer. Além disso, o e-book é a afirmação definitiva de autoridade da marca sobre o assunto. 

Trata-se de um livro eletrônico e distribuído como arquivos em links distribuídos pelo site, enviados ao cliente ou em formato de e-mail para serem baixados. Quando fazem parte de campanhas estratégias de marketing, eles são gratuitos, mas muitos são comercializados em lojas tradicionais de livros. 

Para empresas que estão iniciando essa estratégia de inserção de e-books que gerem resultados, é preciso seguir um passo a passo cuidadoso, como as indicações abaixo:

1 – Capte ideias

Criar pautas para fazer um e-book pode ser mais complexo do que criar conteúdos cotidianos. Isso porque os temas precisam ter maior complexidade e informações que possam construir um material interessante e informativo. Quando perceber que algumas propostas de conteúdos podem ser mais elaboradas do que o espaço determinado, pode ser o embrião de um bom e-book. 

Faça uma lista de ideias. Mesmo que pareçam tolas, é possível que em algumas existam possibilidades inovadoras e impactantes. Também funciona avaliar os tipos de e-books sendo criados pela concorrência, para ter ideias a partir deles. Outra forma de identificar um bom conteúdo para e-book é por meio da avaliação de seus próprios clientes, entendendo suas necessidades e requisições. 

 2 – Busque informações

Após definir o tema, faça uma ampla pesquisa sobre o assunto e tenha o máximo de cuidado sobre a sua veracidade. Se for possível, entreviste profissionais conhecidos no mercado que possam dar sua opinião sobre o assunto e sugestões. 

3 – Estrutura

Identifique que tipo de estrutura terá o e-book, como imagens adicionais, vídeos, fontes, referências, montagem dos textos, etc., além da sua identidade visual e diagramação. Não se esqueça de revisar muito bem cada detalhe para que não exista nenhum erro, principalmente de português. 

4 – Lance o e-book

Depois de pronto, é hora de fazer o seu lançamento utilizando as técnicas do marketing digital, como o landing page, e-mail marketing e otimização em SEO. 

O e-book é um livro eletrônico comercializado em lojas virtuais ou oferecido gratuitamente para empresas, como geração de leads. Ferramenta eficaz para atrair potenciais clientes, o e-book leva conteúdo relevante em troca de valiosas informações para o marketing digital. 

Para um conteúdo de qualidade, nada melhor do que contar com uma agência especializada, certo? E nisso a RedaWeb pode te ajudar! Entre em contato conosco pelo site ou ligue para 0800 750 5564 para encontrar o melhor plano para o seu negócio!