Erros no e-mail marketing: conheça os 5 problemas que a sua empresa pode enfrentar

O e-mail é um canal relativamente antigo se comparado às novas tecnologias, mas mantém sua condição como uma arma poderosa dentro das estratégias de marketing digital. O chamado e-mail marketing é capaz de trazer benefícios inestimáveis para as empresas, como garantir um melhor Retorno sobre Investimento (ROI), manter um relacionamento que ofereça valor para o cliente e ser um canal de vendas simples e eficaz.

Desta forma, o e-mail marketing se configura como a ferramenta mais simples para divulgar produtos e serviços de sua empresa. Não obstante, existem inúmeros cases de sucesso a partir do uso desta ferramenta. Porém, há um dilema: você adota a estratégia mais eficaz, alcança uma grande quantidade de pessoas, mas isso não se converte em resultados satisfatórios. Será que o problema está na estratégia?

Nem sempre. Por mais que este tipo de campanha seja simples, existem cuidados básicos que devem ser tomados para que o efeito não seja contrário, arruinando a sua campanha e afastando potenciais clientes.

Para te ajudar nesta missão, nós vamos te mostrar os cinco problemas que a sua empresa pode enfrentar no e-mail marketing. Descubra onde você está errando e como solucionar os problemas!


Assunto do e-mail desinteressante

Uma vantagem do e-mail marketing em relação a outros tipos de campanha é que ele, de alguma maneira, realmente alcançará todos os clientes desejados. Mas se ele não pode ser totalmente ignorado, pode sumariamente ser excluído pelo seu remetente. Como evitar que isso aconteça? Criar um assunto de e-mail irresistível, a ponto de convencer o cliente a pelo menos abrir a mensagem.

Esta é uma arte para poucos, mas que merece atenção especial. Afinal, por melhor que seja o seu texto, se o assunto for desinteressante, a sua lista de contatos simplesmente o descartará. O assunto do e-mail é o primeiro contato do remetente com o seu conteúdo, portanto, ele precisa ser persuasivo.

A dica é criar assuntos que sejam curtos, diretos e objetivos. Afinal, os serviços de e-mail delimitam um curto espaço para esses títulos. Porém, é claro, tome cuidado para não ser curto demais, pois isso também pode gerar desinteresse. E lembre-se: assim como não é efetivo criar um texto matador sem um assunto persuasivo, atente-se também para o contrário. Ofereça um conteúdo relevante, que corresponda às expectativas.


Segmentação do seu público

Quem faz marketing para todo mundo não faz marketing para ninguém. O que isso quer dizer? Que cada cliente possui uma demanda, ou seja, está em um estágio de funil de vendas diferente de acordo com seu fluxo de nutrição. Esta é uma premissa básica do marketing digital.

Se você manda o mesmo e-mail para todos os clientes, supõe que todos eles são iguais e possuem as mesmas necessidades. Isso está errado! É por isso que você precisa segmentar o seu público, fazendo que cada um deles receba os conteúdos que realmente são de seus interesses. Essa segmentação é responsável por quase 80% do ROI.

Sem uma lista personalizada, você provavelmente entregará uma mensagem que seria adequada apenas para um determinado público. Resultado? Queda na taxa de conversão.

Todo cliente gosta de ter a percepção que determinada mensagem foi pensada especialmente para ele. Outro erro frequente neste sentido é o envio de e-mails a partir de um endereço “noreply”, bloqueando a interatividade entre público e empresa. Você deve não apenas permitir o diálogo, mas também oferecer “mimos” para quem mais interage, como descontos ou e-books.


Frequência dos envios de e-mail

Esta é uma questão bastante sensível: se você lotar a caixa de entrada dos usuários, provavelmente eles ficarão irritados a ponto de cancelar sua inscrição ou simplesmente ignorar suas mensagens. Mas, se você manda menos do que deveria, é possível que o seu público até mesmo esqueça porque se cadastrou em seu site.

Nem oito, nem oitenta. Na verdade, não há uma frequência nem horário predefinidos para que você efetue os disparos. Novamente, você possui clientes que pensam e agem de forma diferente. Para um, pode ser que a frequência ideal seja 2 textos na semana. Para outro, apenas um a cada 15 dias.

Como eu chego a essas respostas? Simples: estude o seu público-alvo. Os testes A/B são fundamentais neste sentido para descobrir os dias e horários que as pessoas mais leem os seus e-mails, os períodos em que costumam estar online, entre outros insights. Quando você envia a mensagem certa para a pessoa certa no dia e horário certo, você definitivamente está no caminho certo. Portanto, mantenha um equilíbrio.


Conteúdo e design deficientes

A construção da mensagem (texto e imagem) precisa ser minuciosa. Ao elaborar um texto, por exemplo, certifique-se de que ele não está longo demais. E principalmente: erros de português podem minar a sua credibilidade.

Quanto às imagens, muito cuidado. É certo que as pessoas estão muito mais propensas a clicar em anúncios com imagens, mas não exagere na quantidade. Afinal, sabemos que a qualidade da internet no Brasil não é das melhores, o que pode fazer com que o conteúdo sequer carregue.

Outro erro comum é efetuar mensagens apenas com imagens, sem texto, o que pode fazer com que o conteúdo caia no spam/lixo eletrônico. Em suma, seja simples e direto. Texto objetivo e imagem em forma de CTA.


Monitoramento dos resultados

Quando você cria uma mensagem, você supõe que o lead tome alguma ação. Clicar em uma CTA, ir à sua loja virtual, entre outras possibilidades. Isso está acontecendo? Você nunca saberá se não mensurar os resultados de cada ação.

Uma atribuição básica para isso é determinar indicadores-chave de performance, os famosos KPIs. Um dos principais é o Click-through rate (CTR), que é a proporção de clientes que clicam em um link específico (os CTAs) e o número total de pessoas que visualizaram aquele e-mail.

É a partir desse monitoramento que você saberá se a sua campanha realmente está dando o retorno esperado. Mais do que isso: essa análise dos resultados será fundamental para planejar as próximas ações. Ou seja, escolher o formato de e-mail que mais gerou aberturas, cliques ou visitas ao seu site, entre outras possibilidades.

Ou seja, por mais que o e-mail marketing seja uma ferramenta simples e que dê resultado, nada cai do céu sem uma boa estratégia definida e, principalmente, sem aprender com as suas próprias experiências.


Agora que você já sabe como escapar das “ciladas” em suas campanhas de e-mail marketing, saiba que o seu marketing de conteúdo pode ficar ainda mais efetivo a partir dos benefícios que temos para te oferecer. Quer saber mais? Acesse nosso site ou ligue no 0800 750 5564 e solicite um plano de produção de conteúdo da RedaWeb agora mesmo!