Erros no plano de comunicação: 3 estratégias que você deve evitar

Todo empreendimento que visa alcançar níveis de sucesso, necessita de diversos planejamentos e profissionais capacitados à sua frente. Para a comunicação feita de forma estratégica isso é ainda mais importante, devido ao fato de estar se tornando, cada vez mais relevante e ponto de preocupação dentro do mundo business.

De acordo, com dados levantados em pesquisa realizada pela USC Annenberg, no ano de 2018, 89% dos profissionais ligados à comunicação e relacionamento enxergam e compreendem que o grupo de estratégias forma um dos principais pilares para sucesso e conquistas de uma marca ou empresa em médio e longo prazo.

Este número revela a importância de elaborar, aos mínimos detalhes, o plano de comunicação, traçando as estratégias consideradas ideais a essa trajetória. Entretanto, alguns pontos desconsiderados, muitas vezes além do conhecimento de uma equipe, podem levar a erros e armadilhas perigosas. Confira quais são e o que fazer para evitá-las:


Deixar de lado a mensuração de sua reputação

Uma dúvida bastante comum em diversos cenários e modelos de negócios é saber se o investimento realizado em comunicação alcançou resultados satisfatórios e está trazendo custo-benefício sobre o que foi gasto.

A resposta está na qualidade, construção e utilização de métricas, pois sem ferramentas desse tipo as empresas ficam, na maioria das vezes, à feição de danos e com extrema dificuldade em analisar feedbacks e remodelar estratégias junto aos meios midiáticos.

Portanto, mensurar a visão que sua marca demonstra e o modo como repercute, além de saber quais são seus pontos fortes e as debilidades mais sensíveis, possibilita evitar impacto prejudicial e nortear possíveis repercussões, facilitando ajustes de forma alinhada com os objetivos da empresa e fugindo de erros no plano de comunicação.


Deixar de utilizar ou até mesmo planejar o acompanhamento de mídias

Toda elaboração de ação e divulgação, deve ser considerada como uma parte dentro de um conjunto estruturado para a comunicação. Porém, muitas empresas param por aí, esquecendo um comportamento primordial, o monitoramento das mídias utilizadas em tempo real.

Essa prática se baseia no acompanhamento em diferentes canais e plataformas, online e off-line, compilando conteúdos vinculados na mídia a respeito da sua empresa e repercussão causada por isso.

Há poucos anos, a única forma considerada de mensuração era o clipping tradicional, que considerava os centímetros obtidos e o tempo de permanência de seu material aos olhos do grande público, migrando para fase tecnológica que além do procedimento de replicar, precisa de estratégias e implementação de ferramentas, como por exemplo, um clipping interativo que possui o poder de mensurar com maior precisão os resultados.  


Objetivos e missões desconectadas com os propósitos da empresa

É um erro que pode parecer óbvio, mas sempre é preciso ter cuidado, pois isso é chave para realizar o planejamento de comunicação em coerência com os objetivos da empresa. Desse modo, a chance de os resultados trazidos serem de acordo com o esperado e almejado pelos gestores é muito maior.

Para evitar erros como esse no plano de comunicação é preciso pensar a comunicação como um suporte estratégico parceiro aos rumos de negócio!!

Um exemplo simples é a objetivação dada a uma marca, sua meta de impacto na web e o desejo de atrair mais clientes por meio de seus produtos, por exemplo. Portanto, é importante entender que seria errado, elaborar um plano completamente focado em mídias externas ao universo digital.

Alinhar campanhas, conteúdo, relacionamento com parceiros e clientes rumo aos objetivos e entendimento de mercado norteados pela empresa, necessita da estratégia geral de comunicação colocada em sintonia com os mesmos objetivos, diminuindo assim a possibilidade de erros.


Não delimitar o público que pretende conquistar e fidelizar

O poder de segmentação, embasado no conhecimento aprofundado do público-alvo identificado, analisado e buscado é um dos primeiros trabalhos de refinamento feito para um planejamento de comunicação e alinhamento das estratégias a serem executadas.

Sua má-execução ou não realização é um erro grave no período de elaboração e criação do plano de comunicação! Deve-se investir tempo, mão de obra e, em alguns casos, recurso financeiro para construir de forma alinhada e direcionada o público pretendido.  

Muitas vezes, o foco em inúmeros grupos acaba por considerar muitas variáveis e pessoas que provavelmente não usarão o produto ou serviço de sua marca, pois a vasta demografia implantada nas ações acaba por diluir a mensagem essencial, dificultando e distanciando o engajamento do público para com o conteúdo ou produto ofertado.

Atualmente, abriu-se um leque de opções para os mais diferentes portes e objetivos de negócios, possibilitando até para microempreendedores testarem suas hipóteses antes de inseri-las no mercado.

Com ferramentas como o Google Analytics é mais do que possível compreender seus clientes e direcionar a sua marca de modo a conversar de forma mais assertiva e impactante.

Por fim, uma sólida apuração de gastos são reduzidos, além de possibilitar melhores resultados em menos tempo, dando uma atribuição maior e mais importante à estratégia de comunicação e eliminando de forma geral erros no plano de comunicação.


Não manter relação e contato com influenciadores

Após a inclusão de métricas e monitoramento, o aprofundamento precisa ir além, sendo necessário descobrir quais influenciadores diretos e indiretos podem endossar sua marca. Atualmente, o meio e o modo de reprodução de um conteúdo impactam fortemente e acabam muitas vezes direcionando a repercussão tomada.

Erros no plano de comunicação como esse podem ser evitados com essa identificação feita de modo consciente e qualificado, colocando um olhar atento sobre redes sociais, matérias jornalísticas publicadas e muito mais.

É comum o equívoco de elaborar um planejamento de comunicação sem a realização dessa etapa, não identificando quais canais e profissionais possuem maior influência junto ao público e que podem trazer lucro e visibilidade à sua marca por muito mais tempo.

Com mais dados em mãos e trabalhando o relacionamento próximo a esses influenciadores, o fortalecimento de nome e presença da sua empresa nas mídias pode melhorar e alimentar melhores resultados.


Tentar atingir um público-alvo muito amplo

Iniciar um plano de comunicação sem obter um panorama completo referente ao público-alvo buscado é um erro estratégico, com consequências catastróficas. É essencial mapear as preferências, costumes e entender perfeitamente o perfil do público com que pretende conversar.

Isso impõe às empresas a busca por ferramentas atualizadas e capazes de analisar e filtrar, em menos tempo, mudanças de consumo e comportamento, aproximando e estreitando vínculos com clientes em potencial de forma mais coesa.

Compreenda o poder de uma estratégia bem elaborada e executada, a partir de dados, percebendo sempre que além de contribuir para aproximar e fidelizar o público-alvo, essa dinâmica traz resultados financeiros e de imagem benéficos e de encontro com o planejado!!


Conclusão

Um bom planejamento de comunicação deve compilar estratégias e paradigmas da era digital, considerando planos de monitoramento instantâneo de reputação, acompanhamento de concorrentes, análise de influenciadores. Além de alinhar objetivos e orientar a rota em busca de resultados.

A modernização de métodos e coleta de dados facilitam todo esse processo, trazendo significativos benefícios à área da comunicação, propiciando meios mais seguros, eficientes, baratos e que permitam alavancar a imagem, reputação e lucros de uma marca.

Quer assinar um plano de produção de conteúdo? Acesse o site da RedaWeb ou ligue para nós no 0800 750 5564.