lupa ampliando a palavra google em um notebook

Desde a sua criação, em 1998, o Google já mudou diversas vezes, seja no layout ou na forma de apresentar os melhores resultados para uma pesquisa. Nos últimos anos, o algoritmo que beneficia sites responsivos foi uma das mudanças mais significativas.


Essas alterações são realizadas de tempo em tempo, e algumas acabam alterando o posicionamento de diversos sites. A última mudança que causou um grande impacto na forma de pesquisa foi feita em 2014, com mais de 600 alterações na plataforma.


Agora, em 2020, alguns aspectos também mudaram, alterando a forma de apresentação dos conteúdos. 


É claro que muitas pessoas desconhecem as mudanças ou acreditam que o novo parâmetro não impactará no número de cliques e visualizações, mas basta levar em consideração o número de acesso ao Google para repensar essa opinião. 


De acordo com dados divulgados pelo Internet Live Stats, 3,5 bilhões de pesquisas são realizadas todos os dias no Google. Ao ano, o número chega em 1,2 trilhão. Isso ajuda a evidenciar porque o seu site deve estar na primeira página, não é mesmo?


Como funciona a pesquisa do Google?


Antes de questionar as mudanças da plataforma, é fundamental compreender como é o funcionamento da ferramenta de pesquisa mais conhecida do mundo. Assim será mais fácil entender com o algoritmo que beneficia sites responsivos funciona.


Quando um site ou blog (que já foi verificado pelo sistema de segurança do Google), divulga um novo conteúdo na internet, os motores de pesquisa começam a verificar a autenticidade do material. 


Neste momento, alguns robôs estão acessando a página que você acabou de disponibilizar na web. Esta é uma forma de conferir o conteúdo, a disposição do texto e a segurança do site. 


Após avaliar os critérios, o Google realiza a indexação da página, decidindo se o seu conteúdo é bom o suficiente para estar na primeira página ou não. 


Confira alguns dos quesitos que são avaliados durante a verificação:


  • Tempo de existência do domínio do site;
  • SEO do conteúdo;
  • Disposição de backlinks;
  • Velocidade de carregamento;
  • Disposição do mobile;
  • Tempo de leitura da página;
  • Data de publicação da página.


Entretanto, nem todos os critérios são conhecidos. Para ter uma ideia, alguns fatores do ranqueamento do Google não são divulgados!


Então, para garantir a visibilidade que você merece, é fundamental avaliar e utilizar os quesitos conhecidos a seu favor, como o algoritmo que beneficia sites responsivos. 


Agora que você já sabe, resumidamente, como os motores de busca funcionam, vamos acompanhar as principais mudanças do Google neste ano?


Google: mudanças realizadas em 2020


Assim como toda solução digital, o Google vive realizando alterações em seus mecanismos de busca. Algumas dessas atualizações ficaram conhecidas, como foi o caso da Mobile Friendly Update e a Atualização de Confiabilidade, em 2015 e 2019, respectivamente.


O objetivo das mudanças é sempre o mesmo: assegurar que os resultados das buscas sejam sempre o mais próximo do que foi pesquisado. 


Outro fator contribui para que as atualizações sejam frequentes: o número de sites e blogs que tentam trapacear os critérios de ranqueamento por meio de práticas irregulares, como plágio ou conteúdos desconexos. 


Em 2020, duas mudanças chamaram a atenção. A primeira foi a Favicon e Posição 0, com o intuito de padronizar os ícones que aparecem durante a busca na barra de pesquisa. 


Para quem não conhece, o Favicon nada mais é do que um código que precisa ser inserido no site para que o ícone seja apresentado durante a pesquisa. 


Se você ainda não sabe o que é, basta abrir uma nova aba e seu navegador e buscar, na barra de pesquisas, por um site grande. Será possível observar que durante a pesquisa, o ícone surge antes do texto, ao lado superior esquerdo da tela. 


A outra mudança, que está impactando a disposição de anúncios na página, é a nova política de cookies imposta pela plataforma. 


A decisão de modificar a coleta de cookies está relacionada com a segurança e privacidade do usuário, evidenciando os sites que desejam recolher dados durante o acesso do usuário. 


A alteração está em andamento e a estimativa é que o processo de mudança chegue ao fim em dois anos. A modificação prevê que terceiros não poderão ter acesso às informações coletadas durante o acesso a sites e blogs. 


Após compreender algumas das principais mudanças, chegou a hora de saber como ter um site responsivo e de acordo com as políticas da plataforma.


Por que ter um site responsivo?


Com as constantes mudanças no algoritmo que beneficia sites responsivos, ter a certeza de que a sua página está de acordo com os requisitos é mais do que fundamental. 


Em uma das alterações apresentadas pelo Google, a empresa sinalizou que os sites responsivos, aqueles que são capazes de acessar por qualquer dispositivo e plataforma, terão vantagem nos resultados das buscas. 


A modificação vai de encontro com uma nova tendência que já era percebida pelo mercado: as pessoas acessam mais conteúdos pelo smartphone do que pelo desktop. 


A transformação está relacionada com a forma de consumo de informação e com a rotina que temos, afinal, é mais fácil acessar e acompanhar um site pelo celular, que nos permite estar conectado em qualquer lugar, do que pelo computador.


Portanto, é fundamental que o seu site tenha sido desenvolvido de acordo com o design responsivo, recebendo acessos pelo desktop e mobile. 


Vale ressaltar: quando falamos de acesso pelos dispositivos móveis, pensamos em um site que respeita margens do layout, a disposição do texto, o tamanho das imagens e a velocidade de carregamento. 


O algoritmo que beneficia sites responsivos pode ser fundamental para garantir o número de acessos e visitantes na sua plataforma, portanto, não deixe de estar atento às alterações e atualizações que o seu site precisa!


Site responsivo: quem pode me ajudar?


Desde a chegada da internet no Brasil, em 1988, muita coisa mudou. Os sites e plataformas precisarem de atualizações e modificações até o que conhecemos hoje. 


É claro que as mudanças serão frequentes e ainda temos muito que aprimorar neste universo desconhecido que é a internet. 


Conteúdos de qualidade, acesso pelo mobile, segurança e privacidade do usuário e técnicas de SEO são alguns dos requisitos que podem influenciar a posição de um site na internet. 


Se você já possui uma plataforma e está precisando de ajuda para a criação de conteúdo, revisão de textos, calendário editorial e social media, nós podemos te ajudar!


Contamos com uma equipe de redatores e especialistas no assunto. Acesse o site da RedaWeb ou, se preferir, entre em contato pelo número 0800 750 5564. Estamos preparados para colocar o seu site na primeira página do Google, com conteúdos de qualidade e que atendem a expectativa do seu público.