Inbound Marketing e Marketing de Conteúdo: entenda a diferença

O inbound marketing e o marketing de conteúdo são comumente confundidos por possuírem muitas semelhanças em suas ações. O inbound marketing pode ser resumido como um amplo planejamento, que dentre suas ferramentas inclui o marketing de conteúdo, sendo muito mais direcionado a uma mudança de hábitos do cliente. 

O marketing de conteúdo é uma estratégia que complementa o inbound marketing, com foco em transformar as empresas em referências para seus clientes, através da publicação de conteúdos de qualidade e criados, de acordo com o seu interesse. Mas, as diferenças e complementações não param por aí, e uma estratégia perfeita precisa que ambos estejam muito bem ajustados. 


Amplie sua visão sobre inbound marketing

Conceitos relativamente novos no marketing digital, o inbound marketing e o marketing de conteúdo têm dado contribuições fundamentais na apresentação de resultado de estratégias macros. Mas, o debate sobre suas diferenças vem abrindo espaço para uma compreensão maior sobre o papel de cada um num planejamento de marketing. 

Especialistas acreditam que ambos não devem ser vistos como diferentes, mas complementares. O inbound marketing tem como tradução livre o “marketing de atração” e suas estratégias levam o cliente, voluntariamente, até a marca. No marketing tradicional, é a marca que chega até o cliente, através dos mais diversos canais, que podem ou não ser assertivos ao público-alvo. 

Através de plataformas como as redes sociais, sites e blogs, os clientes são atraídos para sanar dúvidas e encontrar soluções para os seus problemas, que não necessariamente sejam sobre o produto ou serviço oferecido pela marca. Muitas vezes, ele vai apenas por curiosidade, com algo que lhe chamou atenção e encontra naquele conteúdo uma solução que ele nem sabia que precisava. 

Essa técnica é ideal para o atual comportamento do consumidor, que gosta de pesquisar mais sobre os assuntos e procura associar suas compras a marcas possuem representatividade e relevância sobre o mercado. 

Essa configuração de funil de vendas apresentada pelo inbound marketing é bem diferente da venda comum, em que o cliente vai até uma loja para adquirir um produto. No método tradicional, o vendedor oferece ao cliente o produto que ele precisa, independente de ouvir a solicitação do consumidor, e não se preocupa com vendas posteriores. 

O inbound marketing não se resume em estabelecer uma relação básica com o cliente, mas possui uma maior complexidade sobre funil de vendas, que segue uma ordem fundamental para atingir os resultados esperados. Ele olha para todas as etapas de uma venda e a vê muito além do ato da compra. Ele utiliza métodos previsíveis de aquisição de clientes, que precisam se manter sistemáticos para atingir seus objetivos. 

Podemos citar cinco desses caminhos fundamentais para serem realizados, independente da marca que faz parte da campanha:

  • Atração: criar conteúdo rico e capaz de atrair visitantes segmentados. O meio principal é de forma orgânica, mas pode também ser em mídia paga, através dos canais de comunicação já definidos;
  • Conversão: é quando os clientes deixam seus dados nesses canais de comunicação, de forma voluntária, e se transformam em leads acessíveis às ofertas sobre o produto;
  • Relacionamento: após conquistar o interesse do visitante, a marca estabelece uma relação com ele que culmina com a aquisição do produto;
  • Compra: adquirir o produto é uma questão de tempo e um resultado mais fácil de ser obtido após iniciado o relacionamento. Afinal, o visitante já se encantou pelo conteúdo e segue a página, tem acesso às ofertas e se sente bem à vontade em obtê-lo;
  • Análise: o processo de compra não finaliza quando o lead se torna cliente e compra o produto. Para muitos, é exatamente nesse ponto que a qualidade do inbound marketing se estabelece, formando potenciais “vendedores”, ou seja, clientes que divulgam a marca de forma voluntária baseadas em sua própria satisfação. Essa etapa engloba um atendimento eficaz, que permite manter um contato direto com o cliente e mantém respostas rápidas e que o ajudem, de fato, assim como a mensuração de todas as etapas anteriores para identificar ajustes possíveis. 


Entendendo o marketing de conteúdo 

Não existe inbound marketing sem marketing de conteúdo e vice-versa. É uma espécie de combustível para que ambos possam funcionar plenamente.  O marketing de conteúdo é um planejamento de textos e outros materiais, como vídeos, infográficos, e-books e podcasts, por exemplo, que visam informar, educar e entreter o visitante e futuro cliente. É através dele que o inbound marketing utiliza suas estratégias que visam a conversão, venda e fidelização do cliente, atraindo resultados em médio e longo prazo. 

No inbound marketing, a estratégia é atrair o público-alvo da marca através de um conteúdo de qualidade em um de seus canais de comunicação. O visitante entra em um site de busca, normalmente o Google, escreve uma palavra-chave que sintetiza seu interesse sobre um assunto determinado e, em seguida, ele tem várias sugestões que podem sanar sua curiosidade. 

O que fará com que esse visitante continue na página e volte novamente é a qualidade do conteúdo que existe nela. É essa a função do marketing de conteúdo. Ele recebe a persona, ou seja, o personagem criado para representar o público-alvo desejado pela marca, identifica que tipo de informação ele deseja e precisa receber e que o liga a marca, para então criar um planejamento de produção de conteúdos.

A proposta é publicar post em blogs e sites da marca, que possuam informação real, original e rica. Embora os textos sejam o ponto principal do marketing de conteúdo, eles podem vir acompanhados de imagens, vídeos e outras mídias que ajudam a valorizá-lo. Esses conteúdos também podem ser em formatos de e-books, webinar, kits, entre outros, sempre com o foco de enriquecer o canal. 

O marketing de conteúdo já existia antes da era digital, fazendo com que mídias tradicionais criassem textos atraentes e relevantes para atrair seu público-alvo, em revistas e jornais impressos. 

Para entender melhor que tipo de conteúdo criar, se o blog é de um restaurante, por exemplo, fale sobre alimentação saudável e receitas. Pode ser um ótimo começo. O mesmo ocorre com um site de turismo, que pode publicar conteúdos relacionados a cidades, dicas de segurança, etc. O fundamental é entender que não se trata de conteúdos que falem sobre a empresa, mas sobre algo que possa ajudar o cliente dentro do seu assunto. 

A estratégia de conversão e vendas não vive sem a estratégia de relacionamento com o consumidor. Mais do que diferentes, é fundamental saber como o inbound marketing e o marketing de conteúdo se conectam para obter os melhores resultados. Para saber mais sobre as diferenças e complementações dessas duas grandes forças do marketing digital, acesse o site da RedaWeb ou ligue para o número 0800 750 5564 para conhecer nossos pacotes de produção de conteúdo.