Interna, externa e mista: conheça as vantagens e desvantagens de cada modelo para a produção de conteúdo

Se a sua empresa está investindo em produção de conteúdo, ela está tomando a atitude correta para fazer mais negócios. Porém, qual é a melhor opção? Produção interna, externa ou mista? 

Neste texto iremos dar mais detalhes sobre cada modelo, seus aspectos positivos, negativos e a nossa análise sobre. Leia até o fim e confira conosco!

A produção de conteúdo para a sua empresa

Investir em Marketing de Conteúdo tem sido uma ótima estratégia para milhares de empresas que buscam melhores resultados. Esta estratégia é bastante acessível e traz ótimos retornos para quem investe corretamente, aproximando mais clientes, gerando mais leads e compras, bem como melhorando a reputação da empresa diante da opinião pública. 

Este conteúdo pode ser produzido em diversos suportes e plataformas. O mais comum é que a empresa possua um blog onde ela divulga regularmente textos, fotos, vídeos, webinars, e-books, materiais ricos e outros tipos de conteúdo com a finalidade de informar, conquistar a credibilidade dos clientes e instigá-los a fazer negócio, fidelizando compradores.

Porém, durante o planejamento estratégico da empresa, pode surgir a seguinte dúvida: qual a melhor opção para a produção de conteúdo? Produzi-lo internamente, com a equipe da empresa; produzi-lo externamente, de maneira totalmente terceirizada; ou mesclar os dois modelos para esta função?

Para esclarecer esta dúvida, que não tem uma única resposta, é preciso tratar sobre diversos fatores, como custos, eficiência, particularidades de cada negócio, agilidade, resultados e exigências de diferentes mercados. Veja nos próximos tópicos um pouco mais sobre isso:

Produzir conteúdo internamente

Produzir o conteúdo in-house significa que a empresa utilizará apenas ativos internos para realizar todo o processo de elaboração, produção e publicação dos conteúdos. Isso inclui uma equipe de funcionários e uma boa infraestrutura em tecnologia para que os produtores de conteúdo possam trabalhar.

O primeiro aspecto a se considerar sobre a produção interna é o custo. Supondo uma equipe de três pessoas, sendo um redator, um designer e um editor/revisor/publicador de conteúdo, a empresa pode gastar mais de R$ 10 mil por mês em salários e encargos trabalhistas. Para o exemplo acima estamos considerando uma equipe enxuta recebendo baixa remuneração.

A dimensão reduzida da equipe pode refletir nas limitações de produção do conteúdo da empresa, produzindo conteúdos com baixa frequência ou qualidade mediana. Por isso, para produzir conteúdo de primeira, seria necessário investir em mais gente, com melhores salários. 

Além disso, a empresa corre riscos relativos à gestão de RH da equipe. A contratação de profissionais pouco assertivos, as demissões ou os pedidos de licença podem prejudicar a lógica de produção de conteúdo da empresa. Nem todo empreendimento tem estrutura de RH o suficiente para gerir mais estes riscos.

Por outro lado, produzir o conteúdo internamente significa ter total controle de todas as etapas de produção, do início ao fim. Colocar os produtores de conteúdo fisicamente no mesmo espaço da empresa facilitaria o contato da equipe conteudista a outros setores da empresa, como as áreas de vendas, financeiro ou até mesmo a gestão administrativa do negócio.

Produzir conteúdo de forma terceirizada

Se a sua empresa deseja terceirizar o serviço de produção de conteúdos para o marketing e para as redes sociais, esta pode se mostrar uma escolha ótima do ponto de vista da gestão orçamentária. O primeiro impacto desta produção externa está nos custos, que são muito menores. É possível, por exemplo, assinar um plano inicial de conteúdo por apenas R$ 390 ao mês.

Além disso, o custo do pagamento mensal é o único dinheiro que a empresa irá gastar mensalmente com conteúdo. Não há a necessidade de contratar profissionais específicos ou adquirir qualquer outro equipamento adicional, uma vez que a agência terceirizada já possui toda a estrutura produtiva de conteúdo consolidada.

Quem escolhe realizar a produção de conteúdo de forma terceirizada paga bem menos e ainda assim tem acesso a redatores, revisores e analistas de marketing experientes, especializados e eficientes, que saberão como encontrar as soluções adequadas para as demandas dos mais diferentes modelos de negócio existentes. 

Outro fator positivo em relação à produção externa de conteúdo está no fato de que, ao contar com uma equipe terceirizada, a sua empresa estará confiando em profissionais isentos, livres de alguns vícios de comunicação ou de práticas corporativas negativas que muitas vezes se instalam automaticamente dentro dos empreendimentos. É mais lisura para o seu conteúdo.

Naturalmente, por estarem separados geograficamente e por não fazerem parte do mesmo empreendimento, é normal que a empresa contratante não consiga controlar 100% dos aspectos relacionados à produção do conteúdo. Porém, isso não se apresenta como um problema, e sim como uma característica do serviço.

Isso porque a diretoria do contratante estará monitorando todas as fases de produção, da sugestão de pautas à edição final, de maneira remota, além de alinhar diretamente com a agência de conteúdo sobre seus interesses, demandas, restrições e expectativas. Assim, os produtores terceirizados de conteúdo têm plena consciência do que devem realizar para atender às necessidades do cliente.

A produção terceirizada de conteúdo também permite à empresa contratante que tenha acesso a consultorias SEO do próprio empreendimento, bem como das concorrentes, em planos de conteúdo mais completos, mas que ainda assim se apresentam como um investimento bastante acessível e de alto retorno.

Produção com equipe mista 

Muitas empresas preferem controlar totalmente certos aspectos da produção de conteúdo, enquanto outros acabam sendo terceirizados. Um caso comum são as empresas que internalizam a produção gráfica dos conteúdos (imagens, infográficos, landing pages, produção audiovisual e outros), mas realizam a produção de textos para os blogs de maneira externa.

Nestes casos, produzir conteúdos de maneira mista – parte in-house e parte terceirizada – pode ser uma boa opção. Isso pode permitir, por exemplo, que o gestor responsável pelo marketing da empresa trabalhe diretamente aspectos estratégicos com sua equipe interna, enquanto as análises SEO e a produção textual são realizadas externamente, de maneira ágil e econômica.

Cada empresa possui características próprias. Mas, se a empresa dispõe dos recursos e da disponibilidade suficientes para contratar profissionais para realizar parte da elaboração, edição e publicação de conteúdo, ela pode encontrar bons resultados ao mesclar a fonte de produção de seus artigos e redes sociais.

Contudo, mais uma vez, ela irá ter despesas com a contratação de pessoal e a aquisição de infraestrutura em produção de conteúdo. Por isso, estes valores precisam ser colocados na ponta do lápis, a fim de que a empresa não leve prejuízos não planejados devido ao alto custo de suas operações.

A porcentagem de trabalho realizado pela equipe interna e pela equipe terceirizada deve ser dosada de acordo com as necessidades e o momento de cada empreendimento. A gestão estratégica precisa estar atenta a esta balança constantemente.

Decidido a contratar uma agência especializada em produção de conteúdo? Conheças os planos que a RedaWeb tem a te oferecer e siga rumo ao sucesso. Acesse nosso site ou ligue no 0800 750 5564 para falar com um de nossos consultores!