O trabalho do social media com o Branding e Design Thinking

Há um movimento mundial intenso e voltado para as novidades tecnológicas que acirra a concorrência e expõe com maior facilidade os erros cometidos em alguma fase de produção e divulgação do produto. Dessa forma, uma empresa precisa pensar em cada detalhe e elaborar estratégias bastante ricas em técnicas para se posicionar no mercado e ter valor atribuído. 

Não há resultados positivos que surjam pelo acaso, mas sim com muito trabalho e superação de desafios. Um dos métodos recorrentes do marketing digital vem sendo o de unir forças, ou seja, estratégias que se completam em prol de superar a acirrada concorrência e criar uma marca com reputação elevada. Uma dessas ações vem sendo realizada com a união do branding e o design thinking com o social media. 


A importância do Branding e do Design Thinking na construção de uma marca

O conceito de marca é bastante amplo, embora seja comumente definido pela sua logomarca. Sem dúvida, é muito importante criar um símbolo gráfico que seja tão forte que tanto o mercado quanto os consumidores possam identificá-la facilmente, mas a definição de uma marca envolve vários fatores que que estão relacionados à experiência proporcionada ao cliente. Nessa experiência, devem estar embutidos os valores da empresa e a percepção do cliente, baseados em sua identificação com aquele produto. 

Isso significa que uma marca deve estabelecer uma comunicação complexa , porém imediata, de tudo o que ela deseja oferecer ao consumidor em qualidade, relevância, inovação e potência. Ela deve representar não só o nome da companhia, mas também seus valores, missões, filosofia, cores, logotipo, discursos entre outros. 

O significado de branding é a percepção do cliente sobre a marca, criada a partir de estratégias que visam a unificação da sua identidade, para que estabeleça um elo construtivo entre o consumidor e a empresa. O trabalho, também chamado de gestão de marcas, usa técnicas que aprimoram as experiências dos consumidores e o que a empresa representa, para gerar reputação e reconhecimento no mercado. 

Seus resultados não são criados da noite para o dia, mas envolvem ações de investigação, criação, estratégias, design e gerenciamento para um amplo desenvolvimento da marca. Essas ações atuam em aumentar o valor simbólico da marca, fazendo com que ela seja uma referência plena no mercado e corresponda aos anseios do consumidor sobre aquele tipo de produto.

Dentro dos desafios do branding está o de fazer com que a marca seja encantadora aos clientes. E nada melhor do que se unir ao Design Thinking para criar uma força estratégica da concepção de uma marca, com o desenvolvimento de um design que englobe conhecimento pleno sobre o consumidor e o mercado. 

Os especialistas em Design Thinking não concordam com o atributo da criatividade para a construção de seu trabalho. Os processos são bastante metódicos e formados a partir de objetivos claros, conhecimento da empresa e do comportamento do consumidor, assim como do mercado, a concorrência e as tendências do futuro. 

Seu foco principal é resolver problemas, mas não com uma visão unilateral deles e sim observando todo o processo que envolve. Dividido em quatro fases de desenvolvimento, o Design Thinking vai para a descoberta, passa pela definição, segue para o desenvolvimento e finaliza com a entrega, sempre conhecendo amplamente a concorrência.  

O Design Thinking é uma evolução do design tradicional, ampliando seu campo de visão e o tornando mais inteligente e focado em solucionar problemas. Como hoje o consumidor está plenamente conectado aos meios digitais em seu dia a dia, a conexão da empresa deve se disponibilizar adequadamente a múltiplas plataformas. Só assim será possível atingir os mais diversos espaços de seu público-alvo e até mesmo impactá-lo.  

Afinal, há sites muito bem resolvidos e nítidos quando abertos no laptop, mas que perdem toda a sua definição gráfica no smartphone. É função do Design Thinking pensar em estratégias que permitam utilizar os canais de comunicação em suas multiplataformas, sem perder a qualidade da identidade visual. 

O trabalho de um Design Thinkings tem um foco diferenciado, voltado para a diminuição de custos, aumento do valor da empresa e qualidade na experiência do consumidor com os canais da empresa. E não se furta a criar um novo mercado, a tornar irrelevante a concorrência e a alterar processos internos da empresa, a partir de uma equipe multidisciplinar. Por meio dele, cada profissional envolvido no processo pode contribuir com novos insights e soluções para velhos problemas. 


O papel do social media nessas estratégias

O branding e o design thinking possuem suas funções distintas e podem proporcionar alta qualidade para uma marca. Mas quando eles unem forças e trabalham juntos, podem reforçar a potência da marca no mercado. 

Quando aplicados em um projeto de social media, podem alcançar um resultado altamente positivo e um excelente feedback para os processos. Curiosamente, na prática, ambos são processos simples, mas muito eficientes, que visam juntos minimizar ou mesmo zerar os erros de concepção e prática, com uma aplicação bem definida. 

O social media tem papel fundamental no posicionamento da marca em canais digitais de comunicação. Cabe a ele formar uma rede de relacionamentos que permita construir e estabelecer um elo entre o cliente e a empresa. 

Suas ações são definidas por meio de um planejamento de marketing global, criado a partir da identificação do público-alvo, de como a empresa deseja direcionar sua divulgação, os objetivos e metas de curto, médio e longo prazo, assim como aspectos importantes sobre o produto. 

Porém, com a acirrada concorrência nos meios digitais, manter estratégias padronizadas pode resultar em falhas para atingir os resultados esperados. É preciso identificar novas frentes e estabelecer ações que possam obter novos resultados, sem necessariamente aumentar os investimentos. 

Com a utilização das técnicas de branding e design thinking, o social media começa a definir seus projetos que sejam viáveis financeiramente, possíveis de serem realizados e que sejam capazes de influenciar a vida das pessoas, principalmente desenvolver seus desejos sobre a marca. 

Nesse ponto, o usuário é visto como um ser humano, com seus comportamentos e anseios, para receber o conceito da marca. A aplicação dessas ações precisa contemplar a compreensão da audiência com uso pleno do monitoramento para evitar influências de sentimentos na sua análise, entender o comportamento do cliente para a definição dos objetivos, foco em manter a mídia e não apenas conquistá-la e manter as experiências dos consumidores com as marcas, para uma reputação transparente e forte. 

O marketing digital vem evoluindo com a mesma rapidez em que são apresentadas as inovações tecnológicas. E para se destacar diante da concorrência que também está atenta, é preciso unir estratégias e criar novos caminhos para ampliar a experiência do consumidor com a marca. 

No nosso site você pode assinar um plano de produção de conteúdo. Acesse o site da RedaWeb ou ligue para nós no 0800 750 5564.