Planejamento para negócios bem-sucedidos

A falta de planejamento é o primeiro passo para o fracasso, segundo mostra a porcentagem de empresas que fecham as portas logo nos primeiros dois anos. O motivo principal é sempre a falta de uma organização desde sua fase embrionária, mensurando todos os passos posteriores para evitar ao máximo as surpresas. 


O mais comum é ver pessoas abrindo suas empresas, muitas vezes por impulso, sem prever as dificuldades que surgiram ao longo do processo de abertura do negócio e sua estabilização. E consequentemente sem se precaver de evitar que elas se tornem um problema real e venha colocar os negócios em risco. Com isso, ter um modelo de negócio é essencial para evitar esses percalços.


A organização como diferencial entre empresas


É possível conferir em números, a vocação do Brasil em empreendedorismo. E os números aumentaram muito com a pandemia, já que muitas pessoas perderam seus empregos e precisaram buscar novas fontes de renda, especialmente como empreendedoras. Mas na mesma proporção que surgem novos negócios, há a imprevisibilidade que acomete empreendedores despreparados para tocar suas empresas. 


Afinal, se uma pandemia global atingiu empresas de todos os portes, mesmo muitas preparadas para situações mais arriscadas, o que acontece com empresas que não possuem nenhum tipo de planejamento e organização de seu negócio? Não precisa que uma catástrofe da natureza aconteça para que ela desmorone, basta apenas que o cotidiano e as suas dificuldades, faça com que o empreendedor fique desnorteado e se perca. 


A maior parte dos problemas que surgem na vida de uma empresa, podem ser evitados. E a forma mais assertiva de se precaver de tudo o que está por vir em uma empresa é por meio de um planejamento de modelo de negócios. 


Não são poucos os passos a serem dados para abrir uma empresa. Mais ainda, para fazer com que ela sobrevive no mercado. Quanto mais organizado estiver, mais preparado estará para superar esses obstáculos e atingir seus objetivos. 


O modelo de negócios é um método de organização que abrange todas as etapas do processo, com todos os detalhes. Isso significa que vai desde o período embrionário de criação da empresa, com a definição da sua missão e filosofia, até os índices financeiros que incluem todos os setores, gastos e ganhos. 


Com tudo detalhado, é possível identificar os objetivos da empresa, como pautar as ações de marketing e ter exatidão em como estão as suas finanças. Isso é fundamental para qualquer tipo de investimento, para manter a logística em dia e para não se envolver em dívidas desnecessárias. 


Se ideias, inclusive as boas, podem surgir a qualquer momento, sem serem colocadas em prática vão se perder. Dessa forma, de nada adianta estimular a criatividade e pensar de forma inovadora, se não há um mecanismo de organização dessas mesmas ideias para que possam ser realmente viabilizadas. 


Os primeiros passos de uma empresa são muito burocráticos e requerem um valor inicial para pagar os documentos, taxas e a infraestrutura para começar a tocar o negócio. Esses custos podem ser de suas próprias economias ou de empréstimos a serem pagos no decorrer dos primeiros meses de vida da empresa. Isso significa que ela já começa com dívidas e outros gastos fixos a serem pagos, sendo imperioso ter rigorosamente tudo em dia para não atrasar ou deixar de pagar. 


Mesmo que exista o trabalho de profissionais como contador e marketing, cabe ao empreendedor ter domínio de todos os caminhos que a empresa está tomando. E saber detalhadamente, os processos a que ela precisa passar para atingir seus objetivos, se antecipando a possíveis erros e tendo uma visão clara dos pontos fortes e fracos do seu negócio. 


Inicialmente, o modelo de negócios é uma ferramenta administrativa que permite que o empreendedor saiba se o seu negócio pode prosperar no mercado e ser viável de ser feito, assim como também entender a hora certa de investir e captar recursos financeiros para que ele se torne uma realidade. Tudo porque a organização de ideias e práticas permite uma informação precisa de tudo isso. 


Sem dúvida, já começar um negócio com tudo planejado é um diferencial, evidenciado para investidores e possíveis sócios. O que torna a empresa mais confiável e com uma gestão atenta a tudo que diz respeito ao seu negócio. 


As etapas do seu modelo de negócios


O modelo de negócios não serve apenas para grandes empresas, mas se encaixa para todos os tipos e tamanhos, sendo capazes de abordar os mais diversos aspectos do projeto. Naturalmente, quanto menor a empresa, mais simples pode ser o planejamento, mas não menos essencial ou superficial. 


Criar um plano de modelo de negócios é mais fácil do que parece. Aqui discriminamos sete etapas a serem seguidas, para tornar tudo mais fácil de ser concretizado:


1 – Há diferença entre plano e modelo de negócios


O modelo de negócios é o primeiro passo a ser seguido, já que ele é organizado e formulado para que todas as etapas do processo possam ser visualizadas e compreendidas. Ele faz um verdadeiro mapeamento de tudo o que deve ser feito, como a forma de gerar receitas, o valor agregado do serviço ou produto, fretes, relacionamento etc. O importante é que ele seja simples de ser compreendido, mesmo que possua uma complexidade de informações. 


Enquanto o plano de negócios é mais objetivo, embora também detalhado, onde se explicita a viabilidade do negócio em questão para um possível investidor, através de análises do mercado, da economia, dos processos e do seu diferencial. O ideal que ele seja preparado após o modelo de negócios, para seguir sua base de informações. 


2 – Business model canvas


O Business Model Canvas é um conceito de modelo de negócios, dividido em nove etapas. Depois de formuladas, cada etapa tem informações detalhadas sobre seu processo, através de uma aba inserida em seu nome na planilha. 

 As etapas são: 

  • a) Segmentos de mercado – onde são anotados os tipos de clientes ideais para seu produto ou serviço. Nesse item há a definição da persona, assim como informações pontuais sobre o seu perfil;
  • b) Ideal de valor – Indica a proposta de diferencial e solução que a empresa quer oferecer aos seus clientes. Como todo o restante, deve ser bem pensada e planejada, já que é esse item que será determinante para afastar a concorrência; 
  • c) Canal de aquisição do produto – são os locais onde o cliente irá adquirir o produto ou serviço. É preciso pensar bem, para que sejam avaliados os custos de cada canal, a forma como será feito o marketing e como o cliente se comporta neles;
  • d) Relacionamento – é como a empresa deseja manter a relação com o cliente, incluindo os canais de comunicação a serem disponibilizados; 
  • e) Renda – é onde deve ser incluída as entradas financeiras do negócio, quanto o cliente disponibiliza para pagar pelo seu produto e os custos que envolvem o processo; 
  • f) Recursos – é a definição do que é necessário para que a empresa possa colocar em prática os seus valores para os clientes. Nesse item estão inclusos o espaço, material, capital humano entre outros;
  • g) Atividade – Que tipo de produto ou serviço será realizado para entregar valor ao cliente; 
  • h) Parcerias – São todos os tipos de parcerias envolvidas para que o produto chegue ao cliente. Incluem colaboradores e funcionários, fornecedores, empresas terceirizadas, frete, sócios etc. 
  • i) Custos – quais serão os custos para que a empresa seja iniciada e estruturada. Ele deve incluir desde a documentação e pagamento de taxas, compra de material, contratação de pessoal, aquisição de máquinas, local, fornecedores, frete entre outros. Quanto mais detalhado for esse item, menores serão as chances de um desequilíbrio financeiro, endividamentos desnecessários e prejuízos;


3) Tipos de modelos de negócios


Há tipos diferentes de modelos de negócios, que correspondem ao jeito de como a empresa será estruturada. Eles são: 

  • a) Franquias – a partir de uma marca já existente, a empresa obedece as regras e padrões do franqueador, para comercializar os seus produtos e serviços. Esse tipo de modelo de negócio permite que o empreendedor já comece no mercado com uma marca sólida e que já foi testada e aprovada pelos seus clientes. 
  • b) Assinaturas – em expansão atualmente, ela oferece ao seu cliente uma assinatura mensal, onde ele pode receber uma série de produtos ou serviços de acordo com suas escolhas de planos. É muito comum em vinhos e livros, por exemplo, mas vem encontrando outras frentes também vantajosas; 
  • c) Saas – é a sigla que indica o Software as a Service, um tipo de modelo de negócio onde o cliente pode acessar uma plataforma através de pagamento mensal. Semelhante ao modelo de assinatura, seu diferencial é que todo o serviço é realizado de forma online, como é o caso dos streamings Netflix e Globoplay ou do Spotify e Deezer.

4) Começando com uma boa ideia


Tudo começa com uma boa ideia, que começa a ser posta em prática a partir da elaboração do modelo de negócios. A partir dele, essa ideia pode começar a ser ampliada, pesquisas realizadas para entender sua viabilidade e aceitação no mercado, assim como todos os trâmites para iniciar uma empresa desse segmento desejado. 


Diante dos resultados, será possível entender a possibilidade dela realmente se tornar um negócio rentável, assim como os valores a serem empregados para sua realização. 


Em cada item proposto, há uma parte da sua empresa. Portanto, fuja sempre do modelo de negócios genéricos, para criar um exclusivo e que tenha todos os itens necessários para iniciar e tocar seu negócio. Sem dúvida, esse já é um ótimo diferencial em comparação aos seus concorrentes, que vai refletir no seu desempenho adiante. 


Conheça outras ferramentas empresariais e de comunicação, assim como elas podem ser uteis para o desenvolvimento de sua empresa. Venha para o site da RedaWeb ou ligue para o nosso  0800 750 5564, para entender melhor o que a nossa empresa pode oferecer para a sua.