Saiba o que seu cliente procura no Google antes de buscar sua empresa

Um estudo feito pela Universidade da Pensilvânia, nos Estados Unidos, identificou um comportamento que ajuda a responder à questão proposta pelo título deste artigo. O que seu cliente procura no Google antes de buscar a sua empresa?

É evidente que este artigo não responderá a esta pergunta, pois seria necessário um estudo como o realizado pela Universidade da Pensilvânia. A investigação realizada pela instituição revelou que 50% das pessoas que procuram atendimento médico hospitalar fazem, antes, pesquisas no Google.

O propósito dessas pesquisas no Google é obter informações que permitam ao indivíduo fazer associações entre os sintomas que está sentindo e possíveis enfermidades a eles associadas. Alguns, inclusive, tentam chegar ao autodiagnóstico, para só então procurar o atendimento médico-hospitalar.


Uma nova realidade que precisa ser compreendida

A pesquisa da Universidade da Pensilvânia, cujos resultados foram publicados em 2017, pela revista médica BMJ Open, não chegam a revelar nada que nos surpreenda. 

Uma pesquisa de 2018, realizada pelo SPC Brasil, em parceria com o portal “Meu Bolso Feliz”, constatou que 90% das pessoas conectadas realizam pesquisas na internet antes de fazer compras em lojas físicas.

É um dado curioso porque demonstra claramente que não é só para quem decide vender pela internet. Estar presente no “pai de todos”, o Google, é questão de sobrevivência para qualquer negócio.

A pesquisa da Universidade da Pensilvânia esclarece que a maior parte dos pacientes que procuram informações sobre os sintomas que estão sentindo, ao ter um “pré-diagnóstico” da doença, fazem buscas no Google para saber quais são os serviços disponíveis em sua região.

Em outras palavras, antes mesmo de buscar os bens e serviços, o consumidor tenta entender melhor o seu problema, cria expectativas, busca um cardápio de soluções e então decide ir à compra. 


Provocações em lugar de respostas

Você já deve ter ouvido falar exaustivamente sobre o funil de vendas, também conhecido como funil de marketing. Há milhões de maneiras de comprovar que não há forma de se chegar a uma decisão de compra sem passar pelo funil.

Você está no supermercado e é atraído por uma embalagem bonita, exposta em um belo display, com um cartaz bem visível falando sobre o produto ali exposto em destaque. Você nunca ouvira falar daquele produto, mas todo o aparato de merchandising chamou sua atenção e a propagandista, uma moça muito simpática, atenciosa e persuasiva, conseguiu convencê-lo de que você precisava daquele produto e, na verdade, precisava mesmo.

Quando falamos em funil de vendas, você geralmente se depara com processos demorados, mas quando nos referimos a esses longos processos, estamos falando somente de marketing de conteúdo.

Há múltiplos processos de compra. Quando o paciente sai do consultório com uma receita na mão, ele não vai procurar informações sobre o remédio, ainda que nunca o tenha visto mais gordo. Ele vai parar na primeira farmácia ou chegar em casa e fazer uma pesquisa de preço na internet, mas a necessidade é imediata.

Para conquistar esse cliente, sua estratégia será tentar, em médio e longo prazo, convencer esse cliente de que a melhor alternativa é comprar sempre em sua farmácia. 

A provocação e o desafio estão em começarmos a pensar de forma dinâmica e flexível no marketing digital. Sendo que o caminho está exatamente na pergunta que sugere o título deste artigo: “Saiba o que seu cliente procura no Google antes de buscar sua empresa”

O paciente enfermo tenta identificar a doença. Se é assim, você precisa entregar, por meio do seu blog ou do seu canal no YouTube, informações sobre a que estão associados os sintomas que ele está sentindo.

O paciente diagnosticado vai, com a receita na mão, procurar o medicamento na farmácia que entregue melhor preço e maior conveniência. 

O paciente que obteve informações sobre a sua doença e definiu qual especialista irá procurar, fará uma nova pesquisa para encontrar os especialistas que atendem nas imediações do seu trabalho ou de sua residência.

Quer dizer, então, que você entrega a informação toda e na hora de procurar o serviço o cliente está em outra cidade e vai procurar outro médico?

Exatamente, mas pense que o inverso também pode ocorrer, mas na hora que o paciente digitar no Google “dermatologista em Serra Espírito Santo” o seu consultório ou sua clínica terá que aparecer na primeira página.


A essência do Inbound Marketing

Para quem ainda não sabe o que é inbound marketing, ele é um conjunto de técnicas de marketing digital voltadas para fazer com que os clientes certos encontrem o seu negócio.

O melhor dos mundos é aparecer na primeira página do Google sempre que alguém procurar por aquilo que você vende. Só que, para isso, você precisa gastar muito dinheiro com Google Ads ou ter paciência para aguardar os resultados de uma tática de inbound baseada em marketing de conteúdo.

A essência do inbound marketing é que nós, empresas, somos guiadas pelo comportamento do nosso público-alvo. Nós descobrimos o que ele procura e encontramos formas de entregar a essas pessoas o que elas buscam.

A chave para essa política são as chamadas “palavras-chave”.  As palavras-chave são aquelas que as pessoas digitam nos motores de busca para encontrar determinado assunto, bem ou serviço. 

Ao descobrir quais são os termos utilizados pelas pessoas para buscar por conteúdo que se relaciona ao seu negócio, basta você usá-los em seus textos, principalmente nos títulos.

Não é necessário, todavia, repetir que não é tão simples assim. Cada negócio tem suas próprias características, sobretudo no que diz respeito ao comportamento de compra de seus clientes. É preciso definir estratégias que estejam alinhadas às peculiaridades do seu negócio. 

De nada adianta você se tornar autoridade no assunto se 99% do público alcançado está fora de sua área de atuação. Serviços de alcance geográfico abrangente tendem, naturalmente, a se beneficiar mais da presença no Google e em outros mecanismos de busca nas fases de topo e meio de funil.

Tudo isso precisa ser pensado na elaboração das políticas de inbound marketing. Quem determina como será sua presença nos mecanismos de busca, lembre-se sempre, é o comportamento do seu público.


O poder do marketing de conteúdo

Não quer dizer que negócios regionais não possam se beneficiar de uma política de inbound marketing.

É onde entra o marketing de conteúdo. Por que você acha que tantas empresas mantêm um site comercial com um blog?

A resposta é muito simples. Você pode ter uma corretora de seguro rural em Cuiabá e criar conteúdo para pessoas interessadas em temas relacionados ao agronegócio de qualquer lugar do país.

Além de você ter no meio desse imenso universo alguns dos seus clientes alvos, vai, com o melhor conteúdo, fazer com que seu site cresça aos olhos do Google. Quanto mais acessos e interações, melhor ele fica referenciado. 

Com isso, vai chegar um momento em que quando as pessoas procurarem por uma corretora de seguro rural em Cuiabá, o seu site aparecerá na primeira página. 

Chegar à primeira página é um trabalho árduo, mas os resultados valem a pena.


E você? Quer chegar à primeira página do Google? Conte conosco. Nós somos da RedaWeb, uma agência especializada em Marketing de Conteúdo. Entre em contato pelo nosso site ou pelo número 0800 750 5564 para que possamos ajudar você a alcançar os resultados esperados com a presença na internet.