Blog Entenda como funciona o tributo supersimples

Entenda como funciona o tributo supersimples

Entenda como funciona o tributo supersimples

O sistema tributário brasileiro é conhecido por sua complexidade e burocracia, o que muitas vezes dificulta a vida das empresas, especialmente as micro e pequenas. Em meio a essa realidade, o Supersimples surge como uma alternativa para facilitar o pagamento de impostos e desburocratizar o processo para as empresas brasileiras.

Criado em 2006, o Supersimples é um regime tributário especial que unifica oito impostos em uma única guia, reduzindo a carga burocrática e os custos com contabilidade. Com isso, as micro e pequenas empresas podem dedicar mais tempo e recursos para investir em seus negócios, em vez de se preocuparem com a gestão dos tributos.

Porém, apesar das vantagens, muitas empresas ainda têm dúvidas sobre como funciona o Supersimples e se ele é a melhor opção para o seu negócio. Neste texto, vamos apresentar os principais aspectos desse regime tributário, desde o seu funcionamento até as suas vantagens e desvantagens, para que você possa tomar uma decisão mais informada sobre qual regime tributário é mais adequado para a sua empresa.

O que é o Supersimples e quem pode se beneficiar dele?

O Supersimples é um regime tributário especial criado pelo governo brasileiro em 2006, que tem como objetivo simplificar o pagamento de impostos por parte das micro e pequenas empresas. Ele unifica oito impostos em uma única guia, o que reduz a burocracia e os custos com contabilidade.

Para aderir ao Supersimples, a empresa deve atender a alguns critérios, como ter um faturamento anual de até R$ 4,8 milhões e não possuir débitos com a Receita Federal ou com a Previdência Social. Além disso, há algumas atividades que não podem ser enquadradas no regime, como as de cunho financeiro e imobiliário.

As empresas que se enquadram no Supersimples pagam um valor mensal fixo que varia de acordo com o seu faturamento e o tipo de atividade exercida. As alíquotas são escalonadas, ou seja, quanto maior o faturamento, maior a alíquota. No entanto, elas são mais baixas do que as alíquotas dos outros regimes tributários.

Outra vantagem do Supersimples é a simplificação das obrigações acessórias, ou seja, das exigências fiscais que as empresas devem cumprir. No Supersimples, as empresas precisam apenas enviar uma declaração anual de faturamento, enquanto em outros regimes tributários há diversas declarações e obrigações mensais.

As empresas que optam pelo Supersimples também têm acesso a alguns benefícios, como a possibilidade de participar de licitações públicas e a isenção de alguns impostos federais, como o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ) e a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL).

Porém, é importante destacar que o Supersimples nem sempre é a melhor opção para todas as empresas. Em alguns casos, os impostos podem ser maiores do que em outros regimes tributários, principalmente para empresas que possuem uma margem de lucro elevada. Além disso, o Supersimples não permite a utilização de créditos fiscais, o que pode aumentar os custos para algumas empresas.

Como é calculado o tributo Supersimples e quais são suas alíquotas?

O cálculo do tributo Supersimples é relativamente simples, mas pode variar de acordo com o tipo de atividade exercida pela empresa e o seu faturamento mensal. As alíquotas, por sua vez, são escalonadas, ou seja, quanto maior o faturamento, maior a alíquota a ser paga.

Para calcular o valor do Supersimples, é preciso primeiro aplicar uma alíquota sobre a receita bruta da empresa, que varia de acordo com a atividade exercida. Existem seis anexos que agrupam as atividades de acordo com o seu nível de complexidade e risco, sendo que cada anexo possui uma tabela de alíquotas própria.

No Anexo I, que inclui as atividades de comércio em geral, a alíquota varia de 4% a 19,5%, dependendo do faturamento mensal. Já no Anexo II, que inclui as atividades de indústria em geral, a alíquota varia de 4,5% a 30,5%. Nos Anexos III, IV e V, que incluem as atividades de serviços em geral, as alíquotas variam de 6% a 33%, dependendo do tipo de serviço prestado.

É importante destacar que o Supersimples é um regime tributário que contempla a cobrança de diversos impostos em uma única guia, como o Imposto de Renda da Pessoa Jurídica (IRPJ), a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), o Programa de Integração Social (PIS), a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (Cofins), o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e o Imposto sobre Serviços (ISS).

Além disso, é importante lembrar que o Supersimples possui um limite máximo de faturamento anual, que atualmente é de R$ 4,8 milhões. As empresas que ultrapassam esse limite precisam migrar para outros regimes tributários, como o Lucro Presumido ou o Lucro Real, que possuem alíquotas mais elevadas e uma maior complexidade burocrática.

Como fazer a adesão ao Supersimples e quais são as obrigações?

Para fazer a adesão ao Supersimples, a empresa deve se cadastrar no Portal do Simples Nacional e preencher o formulário de opção pelo regime. É necessário informar os dados cadastrais da empresa, a atividade exercida, o faturamento e outros detalhes relevantes.

A adesão ao Supersimples deve ser feita no início do ano calendário ou no momento da abertura da empresa. Caso a empresa já esteja em atividade, a adesão pode ser feita até o último dia do mês de janeiro. É importante lembrar que a opção pelo Supersimples é irretratável para todo o ano calendário, ou seja, a empresa só poderá optar por outro regime tributário no ano seguinte.

Além do pagamento do tributo em si, as empresas optantes pelo Supersimples também devem cumprir uma série de obrigações acessórias, como a emissão de notas fiscais eletrônicas, a escrituração contábil e fiscal, a entrega de declarações periódicas e o cumprimento de outras exigências específicas de cada atividade.

Quais são os prazos e as formas de pagamento do Supersimples?

Os prazos e as formas de pagamento do Supersimples variam de acordo com o faturamento da empresa. As empresas que faturam até R$ 4,8 milhões por ano devem fazer o pagamento do tributo de forma unificada, em uma única guia, até o dia 20 de cada mês.

A guia do Supersimples é gerada automaticamente pelo Portal do Simples Nacional e inclui o valor devido de todos os tributos que compõem o regime, como o Imposto de Renda Pessoa Jurídica (IRPJ), a Contribuição Social sobre o Lucro Líquido (CSLL), o Programa de Integração Social (PIS), a Contribuição para o Financiamento da Seguridade Social (COFINS), o Imposto sobre Produtos Industrializados (IPI), o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) e o Imposto sobre Serviços (ISS).

As empresas que faturam até R$ 180 mil por ano, por sua vez, têm a opção de fazer o pagamento do Supersimples de forma simplificada, por meio do Documento de Arrecadação do Simples Nacional (DAS). O DAS é gerado mensalmente pelo Portal do Simples Nacional e inclui o valor devido de todos os tributos que compõem o regime.

Conte com a Redaweb

Somos uma agência especializada em produzir textos qualificados para atrair a atenção do seu público e aumentar sua cartela de clientes. Investir em bons materiais em blogs, sites e redes sociais é uma ótima estratégia para alavancar o crescimento da sua empresa, então conte conosco nessa missão. Acesse nosso site clicando aqui ou, se preferir, entre em contato pelo 0800 750 5564.

Artigos relacionados.

Ver mais artigos
erros-que-voce-pode-estar-cometendo-no-seu-blog-e-pode-afastar-os-leitores conheca-o-impacto-das-campanhas-de-marketing-e-seo-para-o-business-blog a-importancia-de-produzir-conteudo-escaneavel-para-o-seu-blog
Whatsapp
Ligue grátis 0800 750 5564
Ligue grátis 0800 750 5564