Incorporar posts no Facebook – saiba como isso afeta o seu marketing de conteúdo

O aumento crescente de usuários das redes sociais é estimulante, mas também um desafio não apenas para a plataforma, mas também para as empresas que estão investindo nesse ambiente. Um maior número de usuários tende a ampliar também a quantidade de publicações realizadas, gerando uma espécie de engarrafamento de informações no feed de notícias do usuário. 

O Facebook reagiu a essa situação e vem diminuindo anualmente o alcance orgânico das publicações de uma fanpage. O alcance é ainda menor quando na postagem estão links de outras redes sociais, como o YouTube. Essa diminuição de espaço orgânico impactou o marketing digital e o alertou para encontrar outros caminhos que melhorem o engajamento das publicações. Uma dessas opções é o embedded post, incorporação de postagens do Facebook em outros sites. 


A seleção de publicações feitas pelos algoritmos

Muitas publicações feitas no Facebook compartilham conteúdos de outras plataformas, que ajudam a endossar uma informação e até a viralizar um conteúdo externo. Porém, os algoritmos do Facebook nem sempre reagem muito bem a links de outras redes sociais, como o YouTube, por exemplo, e diminui ainda mais o alcance orgânico desse tipo de postagem. 

Após uma análise mais rigorosa sobre o desenvolvimento de uma postagem, o Facebook decidiu ajustar os seus algoritmos para que priorizassem publicações entre amigos e não de páginas. Segundo os gestores da rede, as quantidades de publicações interferiam na visualização de postagens de interesse do usuário e os principais prejudicados foram as fanpages. 

Afinal, quanto menos pessoas recebem as publicações, menores também serão suas curtidas, comentários, compartilhamentos e todo o engajamento desejado. Sem ele, há também uma redução de leads, conversões e vendas. 

O grau de importância para uma postagem ser exibida já sofreu algumas mudanças significativas. No começo de implantação do feed de notícias na rede social, os algoritmos tinham critérios de pontuação em que valorizavam as publicações com conteúdo mais rico, com imagens e vídeos, com menor pontuação para os mais simples como textos.  

Em seguida, os algoritmos passaram a valorizar publicações mais recentes, também identificando o grau de proximidade entre quem fez a publicação e o usuário, em um processo conhecido com EdgeRank.

Hoje, o EdgeRank não é mais utilizado e o novo algoritmo é considerado mais complexo, cuja característica mais pontual é se adaptar às preferências do usuário. Essa identificação avalia com o que o usuário mais interage e pelo que menos se interessa, como páginas de notícias, vídeos e imagens, humor, etc. Mas há publicações que por si só já garantem maior destaque no feed de notícias, como ocorre com os vídeos ao vivo.

Quando o Facebook lançou a opção de publicações de vídeos, seus algoritmos foram mais implacáveis com publicações com links de outras redes. Tudo para valorizar a ferramenta e estimular os usuários a publicarem na rede seus vídeos e não os importar de outros locais. A opção demorou mais tempo do que o esperado para se popularizar e os algoritmos entraram em ação. 

Os dados ajudam a entender melhor esse comportamento. A taxa de envolvimento de um vídeo nativo do Facebook é de 186% quando comparado aos que foram incorporados de outros sites. Para o marketing de conteúdo esses detalhes são fundamentais para identificar as postagens que devem ser feitas e serão mais bem aproveitadas pelos algoritmos. 

O mais indicado é que as publicações com links externos, especialmente os vídeos, sejam feitas impulsionadas. O método é um tipo de anúncio que ajuda a segmentar o público-alvo e a designar o tempo em que a publicação ficará em evidência para ele. 


O embedded post  e as incorporações em sites 

As redes sociais vêm sendo cada vez mais procuradas pelas empresas, que identificam nas plataformas excelentes oportunidades de negócios. Com o aumento crescente da base de usuários, em especial do Facebook, há uma redução bastante elevada dos impulsionamentos de postagens orgânicas. 

A alegação do Facebook para essa restrição é o excesso de publicações liberadas no feed de notícias. Com uma média tão elevada, o usuário tem dificuldade em identificar as postagens que mais se identificam e de perfis os quais têm mais interesse, perdendo a desejada interação. 

Em contrapartida às perdas da diminuição das publicações orgânicas, o Facebook disponibilizou ferramentas que visam incrementar os anúncios ads e o marketing de conteúdo. As opções básicas de integração entre sites já existentes no Facebook, foram turbinadas com o embedded post.

O embedded post são postagens possíveis de serem alocadas em sites, como complementares de um conteúdo. Essa funcionalidade não foi criada pelo Facebook e o Twitter a utiliza há muitos anos, assim como no YouTube. No início de sua implantação as postagens externas eram limitadas a alguns sites, mas hoje ele se expande para todos os ambientes.

Esse mecanismo beneficia positivamente o trabalho com o conteúdo de um blog, ao enriquecer suas informações e criar um link entre as plataformas. Essa integração sempre foi uma ambição do marketing de conteúdo e do social media, que permite até mesmo curtir a postagem dentro do texto do site e é um grande estímulo a criar mais seguidores e engajamentos. 

Esse recurso é muito utilizado quando se deseja inserir no blog ou site um vídeo publicado no Facebook, citar uma postagem específica e seus comentários, uma imagem marcante, até mesmo áudios.  

O próprio Facebook informa um código para ser aplicado em HTML. É só copiá-lo e embutir no conteúdo do site. Para isso é preciso ir até a publicação do Facebook que se deseja compartilhar e clicar nos três pontinhos na parte superior a direita, onde aparecerá o item “incorporar”. Copie o código que surgirá e cole no gerenciamento de conteúdo do site. Ao salvar, vá até visualização da página e confirme se o procedimento foi realizado corretamente. 

O Facebook Embedded é uma ferramenta criada pela rede social, com o intuito de atingir novos públicos além de suas fronteiras. Mas os principais resultados vêm ocorrendo com o Marketing de Conteúdo, que ganha um retorno muito mais abrangente do que uma simples postagem orgânica. Para que ela funcione e fique exposta corretamente no site, a publicação precisa estar no modo público e privacidade. 

As restrições dadas pelo Facebook para publicações orgânicas de fanpages, fez com que o marketing de conteúdo buscasse novas estratégias para incrementar suas postagens. Os atuais algoritmos de seleção são bastante rigorosos e buscam conteúdos mais afinados com as expectativas do usuário. 

Alguns tipos de publicação, mesmo que sejam relevantes, perdem valor como as que incluem links de outras redes sociais. Duas formas de driblar essa restrição é com o impulsionamento das postagens e o embedded post. 

Fale com a gente para saber mais! Acesse o site da RedaWeb ou ligue para nós no 0800 750 5564, caso queira assinar um plano de produção de conteúdo.