Blog O que é algoritmo? Saiba tudo sobre o assunto!

O que é algoritmo? Saiba tudo sobre o assunto!

O que é algoritmo? Saiba tudo sobre o assunto!

No mundo moderno, o avanço das tecnologias é evidente, dessa maneira, cada vez mais é explícito na rotina e no cotidiano das pessoas a integração dos conceitos da informática, sendo assim, torna-se fundamental para qualquer tipo de individuo ter o conhecimento básico sobre esses métodos. 


É o caso, por exemplo, dos algoritmos. Com certeza, todos os leitores do presente artigo em algum momento já se depararam com esse termo, e talvez até saibam vagamente o que significa, entretanto, as minúcias técnicas ficam em um limbo da falta de acessibilidade. Mas fique tranquilo, nós vamos te explicar de maneira breve e coesa como funciona a tecnologia mais importante para o marketing digital! 


 O que é algoritmo?


Esse termo que gera tantas dúvidas para aqueles que ingressam no mundo digital é resumidamente uma receita para realizar determinada tarefa, seja ela qual for. Por consequência, ele sempre terá um início indicado e um fim determinado, ou seja, é sempre finito. Esses passos são como regras, eles têm uma forma e não podem ser alteradas, pois cada letra fora do lugar pode levar a um mal funcionamento do programa. 


Cada parte da função tem uma entrada e uma saída, e cada detalhe tem instruções estabelecidas. Parece complexo, não é mesmo? Mas depois que compreendemos, tudo fica bem mais tranquilo, o importante é criar uma visão generalizada sobre o assunto. 


Como funciona um algoritmo 


Para começar a compreender esse conceito, é necessário ter uma pequena noção sobre como funciona a linguagem de programação, pois, apesar do funcionamento do algoritmo ser relativamente acessível, as raízes estão no princípio da lógica. Partindo desse ponto, podemos dizer que ele é um passo a passo de linhas de comando para realizar determinada ação. 


Por exemplo: Vamos supor que precisaremos ligar a lâmpada da sala que nos encontramos, a partir disso, é necessário pressupor que o computador é completamente ignorante e não sabe nada sobre o funcionamento do mundo visível. 


Por isso, começamos um programa (um código de programação) do zero, escrevendo cada passo que a máquina precisará realizar, como se estivéssemos explicando algo para um recém-nascido, ou seja, a primeira coisa que fica evidenciada é o desconhecimento do computador e que ele entende as coisas como um passo a passo! Observe por exemplo como funciona um algoritmo para ligar uma lâmpada na sala de estar.


  • Levantar da cadeira.
  • Andar dez passos para frente, três passos a direita e cinco passos para a esquerda.
  • Estender um dos braços. 
  • Encostar no interruptor.
  • Pressionar para baixo o botão. 
  • Retornar cinco passos a direita, três passos a esquerda e dez passos para frente. 
  • Sentar na cadeira. 

Notou como é preciso explicar cada detalhe? E para cada objeto é também preciso exemplificar como é o funcionamento, mas isso não vem ao caso para nós! 


A metáfora mais palpável sobre o que é um algoritmo é determiná-lo como sendo algo semelhante a uma receita de bolo. Quando vamos prepará-lo seguimos aquele direcionamento, etapa por etapa, e no fim, tudo dá certo. 


Bom, agora que já entendemos como um algoritmo simples funciona, é fundamental destacar que essa sequência de etapas faz jus a um determinado objetivo, isto é, quanto mais rebuscado for o fim do caminho, mais inteligente será o percurso por inteiro. 


As possibilidades são infinitas. Já que falamos sobre “caminho”, podemos citar também que as etapas são como placas em uma estrada, e caso passemos alguma sem executar, o programa não fará mais aquilo da mesma maneira, por exemplo, se pularmos a parte de colocar o fermento no bolo, ele não será mais um bolo no final. 


Dentro de um código existem dois tipos de execuções. As variáveis e as constantes. Constantes são aqueles termos que terão sempre o mesmo valor, o criador o coloca predeterminado e naquele fragmento de memória será aquilo. Talvez com uma exemplificação fique mais simples de entender, segue abaixo uma linha simples de código. 


  • O quadrado tem valor 4. {Nesse caso a constante é sempre 4.}
  • O círculo é quadrado + x. {partindo dessa lógica, o círculo nem sempre terá o mesmo valor, pois dependerá de um valor de x, podendo ser definido em um outro código que se liga a este. Círculo, portanto, é uma variável.}
  • Além dos elementos constantes e variáveis, um código possui os comandos de repetição, que são termos que determinam condicionais. São as palavras “se” e “enquanto”. Segue o exemplo:
  • Se quadrado for igual a 3, círculo é igual a 5. {Aqui, temos a condicional do valor do círculo a depender do valor de quadrado} 
  • Enquanto quadrado for igual a 3, círculo é igual a 5. {Nesse fragmento, porém, é somente enquanto o resultado for 3, caso mude, círculo assume outros valores.}


Com todos esses conceitos, um algoritmo é capaz de englobar múltiplas possibilidades e é capaz de executar tarefas inimagináveis, dependendo apenas da criatividade do programador. O profissional que cria um código, faz um executável de maneira a se comportar de acordo com aquilo que idealiza, e o usuário que entende o funcionamento do programa pode desfrutar dessas ferramentas.


O que é um algoritmo da internet 


Como tudo na computação é exercido sobre a lógica, não é diferente com a internet. Cada site que você acessa é composto por códigos com etapas a serem seguidas, cada clique que você executa possui variáveis e constantes a serem obedecidas. 


Entretanto, é preciso entender, que nem todo site e aplicativo possuem as mesmas predefinições, pois como já foi citado, quem decide isso é a criatividade do programador. Partindo disso, todo site tem seu código listado através de um objetivo da empresa ou instituição. Um site de vendas não terá um botão para clicar e visitar a página pessoal do vendedor, pois o objetivo dele é apenas converter a interface em um produto vendido. Assim como uma instituição não governamental não terá sistemas para a venda de produtos, pois o objetivo do site não é a conversão de lucro. 


Esse conceito está presente em todo lugar na internet, como nos buscadores do Google, no feed do Instagram ou timeline do Facebook e até mesmo no Spotify e suas recomendações, combinando os artistas e faixas que você mais ouve e gerando um “match” especial para o usuário. 


Esse tipo de interface torna a experiência bem melhor, estabelecendo um padrão de comportamento sugerindo opções desconhecidas, porém, de agrado para o ouvinte. Esse tipo de algoritmo é por vezes debatida, por gerar certo tipo de alienação com os tipos de conteúdo assistidos e consumidos pelo usuário, outros sites que atuam da mesma maneira são: Youtube, Netflix, Amazon Prime Video, HBO MAX, e outras plataformas de streaming e produção de conteúdo. 


O que é um algoritmo na tecnologia 


Bom, caro leitor, como já é de se esperar, esse conceito na tecnologia é bem parecido, mas vamos imaginar por exemplo algo diferente na atuação dele. Um processo de criação do piloto automático em veículos automotores, assim como a Tesla, de Elon Musk, vem fazendo. 


Para realizar um comando como esse é necessário enviar ao chip de computador as informações necessárias sobre o ambiente e além disso ensiná-lo a interpretar e explicar ao computador passo a passo, como ele deve se comportar perante aos inúmeros cenários. 


Entendendo isso, podemos imaginar como é árduo o trabalho de construir linhas de códigos para cada etapa de um processo, para variáveis possibilidades de casos, pois como já dissemos, o computador é extremamente burro, é necessário ensinar TUDO. Imagine o seguinte: Você está com o carro em uma rua sem carros a frente e sem carros atrás, com limite de velocidade 60 km/h e árvores no passeio da rua. Para tanto, o algoritmo precisaria funciona de maneira similar a:


Coleta de informações: 

  • Se há carros a frente diminuir a velocidade de acordo com a aceleração do veículo seguinte. 
  • Se há carros atrás seguir o limite de velocidade.
  • Se há obstáculos exercer o desvio com segurança.


Esses três passos são apenas exemplos do funcionamento, mas é claro que cada função dessas etapas deverá ter constantes e variáveis para o entendimento. Explicar o que é limite de velocidade, e como é. Explicar o que é o desvio com segurança, como funciona a aceleração. É como dissemos, exatamente TUDO deve ser descrito da maneira mais objetiva possível.


Compreendendo isso, podemos retornar ao que realmente interessa para o nosso dia a dia no marketing de conteúdo, como funcionam os algoritmos nos sites mais importantes da web e porquê entender eles são a melhor maneira de obter sucesso na construção de um site, blog ou na produção de qualquer tipo de conteúdo. É preciso compreender que existem técnicas específicas para cada plataforma para o ranqueamento do seu conteúdo, códigos e mais códigos para tornar textos e imagens mais relevantes os mais vistos, nada é aleatório na internet, pois tudo é feito por computadores e algoritmos predefinidos por programadores. 


 Algoritmo do Google 


Para começar, vamos explicar o seguinte, o algoritmo do Google é todo o mecanismo que está por trás dos resultados de uma busca do site. Resumidamente é possível afirmar isso em três palavras: “Fatores de ranqueamento.” Isso para os profissionais do marketing de conteúdo é a questão mais importante, entender esses fatores e usá-los ao seu favor. E fazemos a seguinte pergunta: “OK, entendi o algoritmo, agora posso apenas relaxar e aproveitar da compreensão, certo?”


Errado! As pesquisar realmente afirmam que há muitos fatores que fazem o Google entregar tópicos relevantes a pesquisa do usuário, e esses fatores geralmente são parecidos, entretanto, o código do Google muda todos os dias. Essas atualizações são divididas em dois grupos: 


  • As mudanças diárias: São quase sempre aquelas pequenas alterações que são praticamente imperceptíveis, mas altera sim a forma como o conteúdo é entregue ao utilizador, para melhorar o processo progressivamente. 
  • Core Updates: Esse é o nome dado para aquelas grandes atualizações, que são realizadas ao longo de cada ano no cerne do algoritmo. São essas mudanças que trazem mudanças bruscas e relevantes nos resultados orgânicos do tráfego do mecanismo de busca mais utilizado do mundo. 

Algumas dessas alterações foram tão grandes que mudaram a forma que o marketing digital funciona, recebendo até nomes específicos.  Por exemplo:

  • Flórida: Feita em 2003, talvez seja a mais impactantes, pois foi ela que colocou o método SEO (Search Engine Optimazation) no mercado, trazendo métodos para a construção do conteúdo para definir se ele é ou não bom. Essa atualização foi responsável por tirar quase 50% dos sites que estavam anteriormente listados e foi lançada para combater sites de baixa qualidade que utilizavam técnicas ruins para se promover. 
  • Penguin:  Foi executada em 2013 e ficou conhecida popularmente como Webspam Updade, seu objetivo era combater os sites que utilizavam um excesso de técnicas para ranqueamento. Cerca de 3% dos sites foram afetados, combatendo assim, sites que utilizavam keyword stuffing (excesso de palavras chaves) e outros métodos que agora passaram a ser evitados. 
  • FRED: Lançada em 2017 essa atualização visava prejudicar sites que utilizavam conteúdo de baixa qualidade e muitos banners de propaganda. 
  • Medical Update: Essa atualização foi de 2018 e chegou com o objetivo de combater sites que tratavam do assunto saúde e finanças, ou seja, aqueles conteúdos que poderiam impactar diretamente a vida das pessoas. Resumidamente, a mudança foi a retirada de ranqueamento de sites que produziam esses posts por pessoas sem experiência na área. 


Bom, esses foram alguns exemplos sobre o funcionamento e alterações que são feitas no algoritmo do Google, no geral, para um profissional de marketing de conteúdo, é preciso sempre estar atento às atualizações, para entregar o melhor possível e garantir a satisfação do cliente ou da própria empresa. A qualidade de um artigo, de um blog post, de uma matéria jornalística, sempre terá relevância se for boa, aliado é claro, a boas técnicas de SEO. Dessa maneira, não importa se seu conteúdo é Evergreen (informações úteis com boa durabilidade) ou conteúdos noticiosos (aqueles que tem objetividade no presente). 


Algoritmo do Facebook 


Assim como o Google, o Facebook apresenta uma série de códigos com o objetivo de proporcionar a melhor experiência possível para o usuário, reunindo os melhores posts de acordo com a preferência do usuário. Definindo assim, por conta própria, o gosto dos internautas. 


Esse tipo de algoritmo da rede social por vezes recebe bastante críticas, por formar bolhas socais dentro das plataformas, um exemplo disso, foi o impulsionamento político que a plataforma gerou nas eleições de 2018. 


O tema da redação do ENEM de 2018 tratou exatamente sobre o assunto, entretanto, com a abordagem do BIG DATA, como sendo um grande acervo de informações de cada pessoa que utiliza a internet e as redes sociais. Gostos de compra, interesses, músicas e uma infinidade de outras preferências. Portanto, a rede utiliza do BIG DATA, para construir seus códigos, aperfeiçoando cada vez mais a entrega dos conteúdos a determinados tipos de pessoas. 


O tráfego orgânico do Facebook acaba sendo prejudicado para páginas de negócios, vendas, marketing, etc. Pois, são vistas como irrelevantes, e isso cria um fomento para as empresas contratarem os serviços de anúncios pagos na rede social, que traz resultados completamente diferentes. Um levantamento feito pela "We Are Social" aponta que apenas 5% das pessoas que curtem sua página recebem os posts publicados sem impulsionamento pago. 


Algoritmo do Twitter 


O Twitter utiliza outra forma de recomendação para seu feed, já que se trata de uma rede cronológica, ou seja, os últimos posts aparecem primeiro. Mas, há ferramentas baseadas no comportamento do usuário também, os tweets recomendados, que aparecem acima dos demais. 


Outro tipo de post que aparece é o “caso você tenha perdido”, são manchetes e notícias que obtiveram muitas interações. Por último há a própria timeline, sendo as pessoas que você segue com os tweets em ordem cronológica.


Alguns pontos que podem ser utilizados para obter o melhor do algoritmo do Twitter são algumas estratégias como por exemplo: 

  • Republicar tweets com maior engajamento.
  • Entender qual horário seu público reage mais ao conteúdo, e vale destacar, cada nicho representa isso de forma diferente.
  • Ter consistência é fundamental, colocar frequentemente posts de relevância no melhor horário possível.
  • Utilizar hashtags para atrair pessoas que procuram o mesmo tipo de post e criar um próprio nicho, utilizando de algum já criado. 
  • Responder as pessoas, criando um contato mais próximo com seu público.
  • Conhecer e aplicar estratégias é sempre funcional!


Algoritmo do Instagram 


A rede social tem ferramentas bem interessantes para perfis profissionais para analisar o tráfego orgânico e pago dentro da plataforma, e é bem fácil de utilizar. O intuito do Instagram é desenvolver o algoritmo para proporcionar da melhor forma o tempo de uso da pessoa. Um feed personalizado com postagens e anúncios específicos.


Com uso de inteligência artificial, eles entenderam que seus usuários preferem consumir no feed e nos stories conteúdo de pessoas mais próximas, amigos e família. Desse modo, a rede social priorizou colocar a frente esse tipo de postagem em ordem cronológica. 


Analisando os comportamentos dos usuários, com o tempo as postagens e anúncios aparecem de forma a satisfazer o gosto. 

Seguindo a mesma linha de raciocínio, a aba explorar tem o objetivo de apresentar conteúdo novo para o usuário, porém de páginas diferentes do mesmo nicho. Assim, são analisados os comentários, as curtidas e as interações, tentando adivinhar suas preferências. Se você interage com postagens sobre cachorros, aparecerá na aba explorar outros cachorros.


No geral, as outras funções e abas do aplicativo seguem a mesma lógica, tentando sempre manter a persona mais tempo conectada.  


Exemplos de algoritmo na internet  


O exemplo mais palpável é a aba de amigos sugeridos do Facebook, é corriqueiro encontrarmos nossos amigos perdidos pelo tempo na rede social através das conexões em comum. Sendo assim, o código analisa as pessoas que você tem como amigos e faz uma varredura pela rede atrás de pessoas que possuem os mesmos amigos, criando assim, uma rede maior de contatos e aumentando a experiência positiva do usuário trazendo aquela sensação de nostalgia. 


Além disso, ele aponta seus interesses e preferências para que você se conecte com pessoas parecidas contigo. 


Algoritmo e estratégias de marketing digital 


Após isso, entendemos o que é algoritmo e como todo o tráfego orgânico está predefinido pelas ordens de código acima mencionadas, entretanto, não é tão simples decifrá-los e obter um resultado positivo. As estratégias de marketing digital utilizam os algoritmos para determinas a promoção de uma marca, e se mal utilizados, podem fazê-la cair no esquecimento. 


A estratégia mais efetiva para impulsionar sua marca é a produção de conteúdo para blogs, dividir seções de topo, meio e fundo de funil, e balancear proporcionalmente esses posts. Mantendo textos de topo de funil em grande quantidade, meio de funil com quantidades um pouco menores, e o fundo de funil apenas para converter em vendas. O usuário precisa entender o porquê ele precisa daquele produto, mas primeiramente ele procurará saber coisas banais, e você deve oferecer respostas a ele. 


Estratégias em redes sociais são menos produtivas, mas igualmente importante, além de gerar credibilidade para a marca, facilita o contato direto e a proximidade. Mas, como dissemos, é preciso entender que gerar tráfego orgânico é extremamente complicado, e para empresas que estão começando talvez não valha a pena investir primeiramente nesse tipo de estratégia, é melhor apostar nos posts blogs. 


Conclusão 


Como pudemos ver, entender o marketing digital e o que é o algoritmo que está a nossa volta é essencial para gerar resultados positivos, gerando maior procura e ranqueamento através dos posts blogs, gerando confiabilidade para sua marca e aumentando o engajamento através das redes sociais.

É preciso também se atentar as atualizações das plataformas e seus códigos para não criar conteúdos obsoletos e ficar atrasado com seus resultados. O importante é entender que a qualidade assunto tratado é o que entretém o público e aumenta a taxa de permanência na página e diminui a taxa de rejeição, gerando ótimas consequências para seu negócio! 


Quer ampliar a sua produção de conteúdo e maximizar seus resultados? Então acesse o site da Redaweb ou ligue para 0800 750 5564 



Artigos relacionados.

Ver mais artigos
-dicas-de-conteudo-para-sua-loja-virtual criacao-de-personas-guia-simples-para-iniciantes qual-e-o-tamanho-indicado-para-postagens-online-saiba-aqui
Whatsapp
Ligue grátis 0800 750 5564
Ligue grátis 0800 750 5564