Você sabe para que serve uma Persona?

Tudo dentro do universo do marketing gira em torno da persona da marca. Afinal, o objetivo das empresas sempre é vender o seu produto ou serviço para alguém. Portanto, essa pessoa é fundamental no dia a dia corporativo. 

Estamos aqui para facilitar a vida de muitos profissionais de marketing. Falaremos sobre o que é e, principalmente, para que serve uma persona.

Pode parecer estranho, de início, mas querer agradar todo mundo, ao mesmo tempo, não é uma boa escolha. Para empresas, a lógica é a mesma: direcionar a produção de conteúdo para o grupo certo de indivíduos é a chave para o negócio dar certo. 

Isso porque, quando o time de marketing entende exatamente com quem deve falar, a equipe não perde tempo, produz conteúdos mais relevantes e distribui pelos canais mais eficientes.

Dessa forma, a adoção de personas na estratégia de marketing tem auxiliado muitas equipes a definir o cliente padrão, de acordo com os propósitos da marca, por exemplo.

Sem mais delongas, vamos explicar detalhadamente o que é persona e quais são as suas funções.

Qual é a definição de persona?

Persona pode ser definida como a reunião de dados sobre clientes da empresa, a fim de formar um perfil semifictício do consumidor ideal da marca. O intuito da estratégia é elaborar uma figura que servirá de ajuda para criar diálogos mais certeiros e alinhados, conforme os interesses e dúvidas dos leads reais.

O recolhimento de dados pode ser feito de diversas maneiras, entre elas entrevistas e questionários. No entanto, também é possível fazer uma pesquisa de forma indireta, ou seja, coletando informações que o Google ou o Facebook oferecem. 

Em seguida, é preciso organizar o resultado das pesquisas e tentar encontrar um padrão nelas. Respostas mais comuns representarão as dúvidas, interesses, problemas e gostos da maior parte dos clientes ou potenciais consumidores. Eis, então, a persona da empresa. A partir de agora, ela precisa ser tratada realmente como ser humano. A empresa precisa criar e manter um diálogo com quem ela representa. 

Um erro bastante comum é pensar que as marcas só têm apenas uma persona pelo resto de sua “vida”. Na realidade, elas podem mudar conforme o tempo vai passando. Sempre que isso acontece, as empresas precisam se atualizar também. 

Aliás, já que estamos falando de erros, também tem gente que pensa que só existe uma persona e pronto. Não! As organizações até podem ter mais de uma, basta ter cuidado para não cair na tentação de querer falar com muita gente simultaneamente.

Mas, por que não criar estratégias com base nas informações do público-alvo da empresa? A resposta é simples: o público-alvo é uma seleção muito mais abrangente. É impossível dialogar diretamente com um grupo tão vasto. Quando falamos de persona, queremos mostrar, de fato, um perfil. 

É mais fácil saber como falar com a Maria, veterinária de 26 anos, que mora em São Paulo, do que com mulheres, de classe B, entre 20 e 50 anos de idade, certo?

Logo, o público-alvo é um nicho mais distante para campanhas de comunicação. Em comparação, quando uma empresa define a sua persona, consegue pensar em ações mais personalizadas.

O conceito de público-alvo é mais antigo e foi criado quando marcas desistiram de fazer Marketing para muitas pessoas. Elas começaram, então, a segmentar mais as pessoas que queriam atingir com as suas ações. 

Apesar de genérica, a estratégia já foi um grande avanço para a área e ajudou muito o mundo corporativo a alcançar melhores resultados. 

Para definir o público-alvo, é preciso ter em mãos algumas informações, como:

  • Idade;
  • Sexo;
  • Classe social;
  • Localização.

Já para pensarmos em persona, precisamos de outros dados mais individuais, que vão mais a fundo na personalidade:

  • Cargo e profissão;
  • Crenças;
  • Hobbies;
  • Preferências.

Agora que já entendemos o que é a persona e quais são as principais diferenças entre ela e o público-alvo definido por uma empresa, podemos seguir.

Mas, afinal, para que serve uma persona?

Já falamos que as personas são estratégias que ajudam bastante as equipes de Marketing dentro das empresas. Agora, mostraremos como funciona esse auxílio.

A função principal da persona é tornar o conhecimento da empresa sobre os seus leads e clientes o mais profundo possível. Conforme explicamos anteriormente, o público-alvo, apesar de oferecer uma segmentação, é tão raso a ponto de não passar informações valiosas. 

Claro que é importante saber que mulheres, entre 20 e 50 anos, são mais propensas a comprar o produto ou um serviço. No entanto, saber a profissão, os interesses e as preferências, assim como suas dúvidas, é fundamental para descobrir como se comunicar. 

A persona também serve para mostrar para empresas que valor o cliente ideal enxerga no produto ou serviço que é oferecido. Como dissemos, adotar essa estratégia significa compreender que dúvidas, dores, desejos e ambições os consumidores dos sonhos têm. 

Esse conhecimento ajuda a descobrir como as organizações podem marcar presença na vida dos seus leads, ou seja, qual é a utilidade da marca para eles?

Os problemas e dúvidas da figura do cliente ideal, além de explicar como as marcas podem ser úteis, trazem luz ao que pode virar pauta para o time de Marketing. Dessa forma, elas são excelentes aliadas de quem trabalha com Marketing de Conteúdo. Afinal, definem conteúdos que podem ser publicados em redes sociais e blogs, por exemplo. 

A partir do momento que as personas servem para criação de pauta, também ajudam na escolha dos melhores canais para distribuição de conteúdo. 

Ao saber que a persona da sua empresa usa bastante o Instagram, por que investir mais recursos em outras opções? As informações certas já estão nas mãos das equipes! Empresas têm que estar nos canais onde as personas estão. 

Ainda na questão de receber e produzir material, as personas têm outra função muito importante: definir o tom de voz e o estilo da ação. 

Como já comentamos, é difícil falar com um grupo muito abrangente, como o público-alvo, mas com as personas é muito mais tranquilo. De acordo com a definição de cada uma, é possível escolher e colocar em prática a forma mais eficiente de se comunicar com ela. 

Por fim, mas não menos importante, uma última função das personas que não podemos nos esquecer: elas dão dicas preciosas quanto à experiência do cliente. Designers e desenvolvedores de sites e blogs podem trabalhar pensando nas preferências da persona e em nas formas como e quando ela navega. 

Essa é uma forma de otimizar o site corporativo, por exemplo, para que o cliente ideal chegue e navegue com mais facilidade e interesse.

Caso você se interesse por Marketing e deseja assinar um plano de produção de conteúdo da RedaWeb, específico para a sua empresa, acesse o nosso site ou entre em contato conosco pelo telefone 0800 750 5564.