Entenda como funciona uma plataforma de distribuição de conteúdo

É notável o papel que a internet passou a ocupar na vida dos indivíduos nos últimos tempos. Nesse contexto, é importante entender os seus efeitos, como a facilidade do acesso a informações sobre os mais diversos tópicos.

Para os empresários, a tecnologia deve ser entendida a partir de sua influência direta e essencial na jornada dos consumidores. Todavia, mesmo que você esteja apenas iniciando o seu plano de produção de conteúdo, provavelmente já percebeu que não basta criar o material. Você precisa divulgá-lo para o público.

Obviamente, hoje existem várias ferramentas desenvolvidas especialmente para ajudá-lo a fazer isso. Contudo, há também técnicas e plataformas menos recorrentes que você pode usar para popularizar a sua marca.

Quer saber como funciona uma plataforma de distribuição de conteúdo? Então prossiga com a leitura para se familiarizar com as alternativas disponíveis.

 

Facebook

De acordo com o The Next Web, em torno de 3,8 bilhões de indivíduos em todo o mundo têm acesso à internet, entre os quais quase 2 bilhões têm perfis ativos no Facebook.

Ou seja, não ter projeto que explore o potencial do Facebook para a propagação de materiais é um grande desperdício. Por que o Facebook ainda é relevante como plataforma de distribuição de conteúdo?

Só no Brasil, essa rede social conta com mais de 140 milhões de usuários ativos. Isso significa que esse país ocupa o terceiro lugar entre países com maior número de adeptos no Facebook.

O tempo de uso também é bastante significativo, em especial entre o público jovem. Internautas de 15 a 24 anos passam cerca de 110 horas por mês conectados ao Facebook em seus smartphones e demais dispositivos móveis. Por sua vez, para os adultos de 25 a 34 anos, o tempo médio é de 104 horas mensais.

 

YouTube e demais plataformas de vídeo

Na atualidade, o vídeo se apresenta como uma das experiências on-line mais populares entre os usuários, sobretudo em dispositivos móveis. E essa prática não pode ser ignorada já que, segundo o IBGE, 80% dos lares brasileiros com conexão de internet possuem um celular.

Ainda que o YouTube se transforme ou encerre as atividades, a tendência é que a abordagem em vídeo continue, contanto que se ajuste e evolua com a tecnologia.

Confira alguns dados pertinentes sobre esse formato audiovisual:

  • Duas a cada três pessoas assistem a um vídeo no seu smartphone mesmo quando estão sentadas em frente a uma televisão.
  • Quase 50% dos usuários buscam o vídeo de um item ou serviço antes de acessar o site da empresa.
  • 45% das pessoas passam mais de uma hora por semana assistindo a vídeos no Facebook e no YouTube.

Ao contrário do que muitos imaginam, uma empresa não tem de se dedicar a todas as mídias estabelecidas até o momento.

Nossa dica é que você realize uma pesquisa para entender em profundidade o perfil do seu público. A partir dos dados demográficos e de hábitos, será bem mais fácil direcionar qualquer comunicação com eficiência.

Dedique-se às redes sociais mais populares entre os seus clientes, pois essa abordagem trará um retorno econômico maior. É correto, portanto, afirmar que o planejamento é uma parte fundamental das campanhas de marketing.

 

Instagram

Com grande apelo visual, o Instagram é uma plataforma de divulgação excelente para quem trabalha com moda, acessórios, decoração e gastronomia, por exemplo.

Essa rede social destaca-se pelas imagens, porém também se firmou como um canal para distribuição de vídeos. Os stories promovem interações rápidas e mais espontâneas, enquanto o IGTV serve para tutoriais.

 

LinkedIn

Nem sempre o LinkedIn é associado imediatamente com a propagação de materiais. No entanto, recomendamos que você não descarte essa plataforma. É verdade que milhões de usuários consultam o LinkedIn diariamente, mas o mais provável é que a maioria não confira o seu blog.

Por sorte, você tem o LinkedIn Publisher ao seu alcance e pode fazer postagens cruzadas nos blogs. Sendo assim, incrementam-se as oportunidades de se estabelecer conexões B2B valiosas.

Os especialistas em marketing mais experientes aproveitam para compartilhar o seu melhor trabalho, assegurando um link direto para o blog.

Entre as vantagens do instrumento estão a distribuição automática e o aumento do alcance das postagens. Além disso, o LinkedIn é uma ferramenta já pensada com a finalidade de promover diálogo entre profissionais e é excelente para quem procura colaboradores de qualquer segmento.

Melhor ainda, as suas publicações podem aparecer nos resultados de pesquisa da mídia. Os artigos com performances satisfatórias têm o potencial de serem compartilhados com usuários para além da sua rede de contato.

 

Quora

O Quora é um site de questões e respostas, no qual os indivíduos fazem perguntas e especialistas – ou, às vezes, não especialistas – se dispõem a responder. Com frequência, os respondentes são também anunciantes em busca de visibilidade para a sua organização.

O propósito é oferecer algo de valor para os leitores enquanto aproveita para construir a reputação da marca. Para tanto, crie um perfil e escolha perguntas para responder.

Dica prática: conduza uma breve pesquisa para descobrir se existem tópicos ativos em relação à sua área de atuação.

 

Vídeos ao vivo (Live)

Um estudo conduzido pela Social Media Examiner mostrou que 14% dos profissionais de marketing dos Estados Unidos utilizaram vídeo ao vivo em alguma plataforma em 2016. E a tendência era de que essa porcentagem crescesse ainda mais nos anos seguintes.

Um levantamento da revista norte-americana Wire aponta que oito em cada dez seguidores preferem vídeos ao vivo do que posts corporativos. Portanto, os dados reforçam o potencial do formato como uma alternativa para qualquer negócio.

Conforme o estudo, as transmissões de vídeo ao vivo dão certo porque são:

  • interativas;
  • perenes;
  • pessoais;
  • acessíveis;
  • urgentes.

 

Newsletter

Depois que você consegue atrair o cliente para a sua página, os newsletters são um excelente veículo de comunicação para usar em seguida. O newsletter tem a característica de ser regular e serve para informar tanto os consumidores fiéis quanto os em potencial.

Vale a pena oferecer algum benefício para que os visitantes ofereçam seu e-mail, como descontos ou frete grátis na primeira compra, por exemplo.

Estudos do serviço MailChimp indicam que terças e quintas-feiras são os dias ideais para se enviar e-mail marketing e newsletters. Porém, as segundas e quartas-feiras também são opções favoráveis.

Outro aspecto fundamental é a personalização das mensagens. O receptor é bem mais suscetível a ler o texto se ele sentir que o conteúdo está direcionado especificamente a ele.

 

Conclusão

Conhecer os recursos disponíveis para a distribuição de conteúdo tornou-se indispensável para qualquer marca que almeja o sucesso. Por isso, esperamos que este artigo tenha motivado você a se aprofundar no assunto e a investir em uma plataforma de distribuição para o seu conteúdo digital.

Para finalizar, convidamos você a entrar em contato conosco pelo site da RedaWeb ou pelo telefone 0800 750 5564, caso queira contratar um plano de produção de conteúdo.