O LinkedIn para o público acadêmico

Você já conhece o LinkedIn? Em termos estéticos, ele pode lembrar rapidamente o Facebook e realmente se assemelha às redes sociais de relacionamentos, mas essa rede social foi feita especialmente para trabalhos e negócios. O LinkedIn foi criado no ano de 2003, para ser usado por profissionais das mais diversas áreas, com o principal intuito de compartilhar conhecimentos e demonstrar suas aptidões. Ou seja, os conteúdos criados no LinkedIn podem apresentar um pouco mais de credibilidade.

Diversas empresas anunciam vagas nesta rede social, e é possível fazer uma contratação usando como base o perfil de cada candidato dentro da rede. Além disso, a rede tem como objetivo que os usuários que se registrem possam se conectar com pessoas que eles conheçam e confiem, criando, assim, a chamada rede de conexões. Cada usuário pode chamar qualquer pessoa para ser sua conexão, estando essa pessoa cadastrada no LinkedIn ou não.

Essa rede social pode tomar diversas proporções, podendo ser uma rede de contatos acumulados, de todo e qualquer grau, para facilitar o contato de profissionais com pessoas do seu ramo. Também pode ser um local específico para encontrar vagas e oportunidades de emprego, podendo recomendar vagas a para suas próprias conexões. 

As empresas podem publicar conteúdo relevantes na rede, e inclusive a oportunidade de novas vagas de emprego recentemente abertas. E absolutamente todos os candidatos que se encontrem no LinkedIn podem ver um perfil de contratação e descobrir se algum de seus contatos poderia ter uma nova conexão com algum empregador e fazer a ponte de contato.

Em termos básicos, o LinkedIn é uma plataforma semelhante a qualquer outra rede social, mas com o objetivo de fazer conexões de trabalho. É uma plataforma para fazer contatos profissionais, ver novas oportunidades e se candidatar a vagas de emprego.  


Como utilizar o LinkedIn

Utilizar o LinkedIn é muito fácil, logo na página inicial da plataforma existe um pré-cadastro para começar um novo perfil. As principais informações que devem constar em cadastro nessa rede social são as informações pessoais básicas – nome, idade, data de nascimento –, se é um perfil para estudantes ou profissionais graduados, qual cargo ocupa atualmente e em qual empresa. É possível encontrar diversas empresas com páginas oficiais no LinkedIn.

Depois de criar um perfil, você precisa fazer as primeiras conexões e a plataforma já seleciona algumas com base nos seus dados iniciais e nas primeiras escolhas feitas no início do cadastro na rede social, como por exemplo, perfis de grandes líderes empreendedores. Além disso, o próprio LinkedIn vai guiando o seu novo usuário quanto às melhores maneiras de finalizar o seu perfil profissional e como cadastrar as suas informações profissionais, como um currículo on-line. São várias etapas até finalmente terminar o cadastro e começar a realizar novas conexões manualmente.

Na página inicial do LinkedIn existe uma linha do tempo com todas as atualizações feitas pelas conexões do usuário. A partir dessa primeira página é possível editar o perfil, postar novidades, como notícias ou artigos científicos, central dos contatos e também as vagas disponíveis na rede.


Principais funções do LinkedIn 

Para se destacar no mundo corporativo, é necessário ter um currículo atrativo, isso é o básico na hora de procurar um novo emprego. E dentro da rede LinkedIn existem diversos recursos para ajudar os candidatos nessa busca.

Uma das funcionalidades não tão conhecidas da rede é a possibilidade de espelhar o seu perfil. Por que fazer duas cópias exatas do mesmo perfil pessoal? É simples, com essa possibilidade você pode criar um perfil totalmente em inglês, ou em outra língua além da sua nativa. A melhor parte é que o link final para o seu perfil continua igual, basta editar o perfil e escolher a opção criar perfil em outro idioma.

Além disso, a plataforma também permite o uso de URLs personalizadas, tornando-a uma possibilidade na hora de repassar seu perfil para agentes contratantes. Em geral, a URL de um perfil é uma mistura de números aleatórios com as letras do nome inicial. O usuário pode finalizar esse link com o seu nome e profissão, por exemplo, para gerar uma melhor visualização para os recrutadores.

Aqui no Brasil essa funcionalidade está disponível desde 2015, que é criação de conteúdo, como artigos científicos, diretamente na plataforma do LinkedIn. Os usuários mais ativos da rede podem, por exemplo, escrever análises ou pequenos comentários relevantes para suas próprias áreas de atuação. O Brasil é um dos países que mais usa essa ferramenta, sendo um dos que mais consome e cria novos conteúdos.

Ainda é possível encontrar antigos colegas de faculdade. As grandes universidades do Brasil se encontram na rede, e com alguns poucos cliques é possível encontrar os atuais alunos e egressos, para adicionar as conexões.


LinkedIn para o público acadêmico

Mas não são apenas profissionais buscando uma nova vaga no mercado de trabalho que podem fazer uso do LinkedIn. A comunidade acadêmica também pode encontrar diversas oportunidades e conteúdos dentro da rede social. E afinal de contas, as grandes universidades já apresentam páginas oficiais dentro da plataforma, como dito anteriormente.

O perfil do estudante pode ser feito já no começo da faculdade. É uma forma de começar logo cedo as conexões que poderão ser muito úteis em um futuro próximo, na hora de integrar o mercado de trabalho, por exemplo.

Uma vez que o estudante pode não ter muita experiência profissional em sua nova área do conhecimento, é de extrema importância preencher os formulários do LinkedIn com cursos e outras formas de treinamento, como atividades extracurriculares feitas nos contraturnos das aulas da faculdade. É uma forma de criar um desenvolvimento e crescimento profissional ainda durante o curso de graduação. Essas experiências podem contar como um diferencial na hora da contratação.

Com a oportunidade de criar conteúdo no LinkedIn, é importante mostrar todos os trabalhos desenvolvidos durante a faculdade, utilizando para isso fotos ou vídeos, além de um texto explicativo. Mostrar esses trabalhos é uma forma de demonstrar talentos que podem chamar a atenção diretamente dos recrutadores.

O estudante também pode fazer uma rede de conexões com seus professores. O meio acadêmico também é uma forma de criar laços e garantir uma boa recomendação no futuro. Os professores são, em geral, mestres em suas áreas e com certeza mantêm uma rede de conexões ampla.

Dentro do LinkedIn também existem grupos, como acontece no Facebook, que podem ser úteis para o estudante universitário. É uma maneira de se envolver de forma direta com pessoas atuantes da sua área do conhecimento. Para ser notado é preciso comentar os tópicos e fazer questionamentos.

Além disso, o LinkedIn também pode ser uma forma de conhecer mais a fundo as possibilidades de carreira que o curso de graduação pode oferecer em um futuro próximo. É uma forma de se conectar diretamente com pessoas que já estão no mercado de trabalho.

Dentro do LinkedIn é importante lembrar de criar um conteúdo relevante e de qualidade. A RedaWeb é uma plataforma para criação de conteúdo, para conhecer todos os planos, basta ligar no telefone 0800 750 5564 ou então acessar o site www.redaweb.com.br